Existe uma grande polêmica em torno dos cães da raça #pitbull. Esses animais são conhecidos pelo instinto de guarda e ferocidade. Por isso, centenas de ataques de pitbulls a seres humanos já foram registrados ao redor do mundo, muitos deles tendo levado as vítimas a óbito. Felizmente esse não foi o desfecho do caso do menino Tomás Braga Nunes, de 11 anos, que foi atacado por um cão dessa raça no parque Buenos Aires, em Higienópolis, região central da capital paulista, nesta quinta-feira (20).

O garoto e sua mãe, a produtora Nina Braga Nunes, que é irmã do ator global #Gabriel Braga Nunes, estavam no parque Buenos Aires, quando o #Ataque aconteceu.

Publicidade
Publicidade

O que mais chamou a atenção é que o animal estava sem focinheira. Apesar disso, existe uma lei estadual que obriga o uso do equipamento em cães das raças pitbull, rotweiller e mastim napolitano.

Segundo informações do portal R7, o cão se soltou da coleira e foi em cheio atacar o garoto. "Ele pulou e mordeu o Tomás no peito", contou Nina à reportagem. Ainda de acordo com a produtora, o dono do cachorro foi embora do parque sem prestar qualquer tipo de socorro e ela desconhece se o cão é vacinado.

A produtora encaminhou o filho a um hospital para que recebesse os primeiros socorros e fosse vacinado contra a raiva. Nina deverá registrar um boletim de ocorrência para denunciar o caso e espera que o dono do animal seja identificado.

Cerco para identificar o animal

A mãe da vítima informou que o pitbull que atacou seu filho é marrom e branco.

Publicidade

As características podem ajudar na identificação do cão. Embora o parque não tenha câmeras de vigilância, as investigações da polícia usarão câmeras dos prédios vizinhos, que já foram colocadas à disposição pelos síndicos dos edifícios, com o intuito de localizar o cão e seu dono saindo do parque.

De acordo com o órgão responsável pela administração do parque, os seguranças foram até o local da ocorrência para prestar atendimento ao menino atacado pelo pitbull, mas a mãe dispensou o socorro. A produtora acabou levando o garoto ao hospital de táxi.

Outros casos

A lei da focinheira está em vigor no Estado de São Paulo desde 2003 e proíbe passeio de cães pitbull, rottweiller e mastim napolitano sem uso de focinheira e enforcador. As penas previstas são de multa de R$ 250, que pode ser cobrada em dobro, caso o infrator volte a cometer o crime.

No estado de São Paulo, outros dois casos de ataques de pitbulls foram registrados recentemente. Em junho, um cãozinho daschund (salsichinha) foi morto por um pitbull na cidade de Jaú.

Em abril, um outro caso foi registrado, envolvendo um menino de 11 anos, que foi atacado por outro pitbull. O caso foi registrado em Ribeirão Preto, também no interior do Estado.