Mulheres negras têm noite de glória na Câmara Municipal de São Paulo. Parecia um desfile de moda. Mulheres negras, emponderadas de turbantes, tranças, de vários estilos lotaram o salão nobre.

Nem mesmo o manifesto que estava acontecendo no dia 01/08, em frente à casa, impediu que centenas de mulheres comparecessem a I Sessão Solene de Homenagem ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. O evento iniciou às 19h, no salão nobre da Câmara Municipal em São Paulo.

“O evento é um grito de resistência das mulheres negras a todo tipo de preconceito, de acordo com a Organização das Nações Unidas(ONU), de 2014 a 2025, é a década do afro descendente e ainda somos obrigadas a sermos tratadas como faxineira, mesmo tendo diploma por causa da nossa cor, por isso, estarmos aqui hoje é uma honra e em futuro bem próximo, vamos estar no governo, nas universidades públicas, no alto escalão da sociedade, porque lá é nosso lugar”, concluiu Tatiane Alves na abertura do evento.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Iva Oliveira, coordenadora da ong Juventude Negra, a ideia principal do evento foi reconhecer e parabenizar militantes que têm excelente trabalho em sua comunidade, mas que são invisíveis pela mídia.

Na oportunidade, foram homenageadas 18 mulheres de vários segmentos: Arani Santos, líder comunitária da Associação de Moradores do Jardim Filhos da Terra; Maria do Carmo Paulino dos Santos, designer de moda,atua na Vila Guilherme; Marlene Alves da Costa, idealizadora da Marcha da Consciência Negra em Jundiaí; Mariane David, fundadora do Projeto Causa Preta; Cleide Neves da Silva, militante há 20 anos na Educafro; Teresa Gramacho de Souza, líder comunitária da Associação Anjos da Paz de Vila Santista; Marcia Antonieta Farro é membro da organização de mulheres negras,Oriashe; Cláudia Rodrigues, presidente União de Mulheres Negras (UBM); Maria Ceres Ferreira de Santana, líder comunitária da região do Imirim; Maria Conceição dos Reis, ativista do Movimento Negro Unificado(MNU); Elaine Dias, advogada, preside do SOS Racismo na Alesp; Diva Gonçalves Zitto Miguel de Oliveira, advogada, MMNB(Movimento Mulher Negra Brasileira); Renata Prado, presidente da Frente Mulheres do Funk; Maria Sylvia de Oliveira,advogada, militante do Geledes; Kátia Aparecida Batista Teófilo, cabeleira, trabalha com cabelo para valorização da auto-estima da mulher negra; Luka Franca, jornalista colaborou para organizar a Marcha das Vadias e Claudia Patricia Luna, advogada que trabalha pelo direito e garantia do Direitos das Mulheres.Todas essas mulheres foram homenageadas.

Publicidade

O evento foi organizado por mulheres que se uniram com o coração: Tatiane Alves, militante da Liga das Mulheres; Iva Oliveira,coordenadora do Juventude Negra; Kelly Castilho, diretora da Confeitaria Filmes; Rubia Mara, Comunicação; Luci Adão diretora da ACESP, Elaine do Buffet O Batuque, Adriana Vasconcelos e Sandra Almeida.Conforme a organizadora Kelly Castilho o evento foi um sucesso porque contou com apoio de mãos como a Makida moda e o Buffet. #julhodaspretas #25dejulho #mulhernegra