Publicidade
Publicidade

Era o ano de 1964 quando o single "I Want to Hold Your Hand", lançado no ano anterior pelos "reis do yeah, yeah, yeah", The Beatles, ganhava as ondas do rádio em todo o mundo. Foi praticamente essa canção que despertou em João Kurk o fascínio pelo rock 'n' roll e, a partir de então, o famoso músico da noite paulistana passou a comprar e ouvir as bandas que começavam a lançar seus primeiros álbuns naquela década como Animals, Rolling Stones, Steppenwolf, The Who, Pink Floyd, Deep Purple, entre outras.

Dois anos mais tarde, com cerca de 15 anos de idade, Kurk já integrava o grupo "The Islanders" e tocava covers da maioria das bandas que ouvia.

Publicidade

No início da década de 70, Kurk foi co-fundador da banda "Utopia" e apresentava trabalhos autorais, além de covers. A banda ficou em atividade por dois anos e em 1973 foi a vez de criar "Terreno Baldio", banda de rock progressivo com forte influência no quinteto britânico Gentle Giant, fundada em 1970 com o trio Shulman, irmãos remanescentes da banda pop Simon Dupree and the Big Sound.

Terreno Baldio lançou dois álbuns: Pássaro Azul, em 1975; e "Além das Lendas Brasileiras", em 1977.

A era da Disco Music com Bee Gees, Earth, Wind & Fire, Jimmy Bo Horne, K.C. & The Sunshine Band, Chic, Village People e outros grupos invadiu as ondas sonoras brasileiras no fim dos anos 70 e, com isso, o rock nacional acabou afetado. Bandas famosas como Os Mutantes, O Terço, Som Nosso de Cada Dia, Casa das Máquinas e outras acabaram se separando.

Publicidade

Com Terreno Baldio não foi diferente.

Em 1981, João Kurk voltava aos palcos como integrante da lendária banda de cover "Rock Memory" com a qual lançou um álbum autoral intitulado "Sozinho na Cidade", além de outros dois só com covers: um dos anos 60 e outro dos anos 80.

Após 10 anos na estrada com Rock Memory, em 1991 Kurk fundou um grupo especializado em covers dos britânicos do Supertramp. A banda "Paris, Supertramp" - título em alusão ao 7º disco da banda inglesa, o bem sucedido álbum ao vivo Paris - foi formada por Kurk e alguns membros de sua ex-banda.

Enquanto se apresentava com covers de Supertramp, João Kurk também colocava os pés nos palcos com a banda Rockover, na qual ficou por 15 anos.

Em 1997, João Kurk, juntamente com Giba San, fundou a banda Duo Bird mas permaneceu com Rockover até 2008 quando criou a Rockstock, banda que ficou na ativa até 2012.

Assim, João Kurk se reuniu com Ed Carvalho, Douglas Coronel, Jorge Anielo e Henrique Lima e formaram a banda "#Mr. Kurk".

Hoje com Carlos Zanin (guitarra), Ed Carvalho (baixo), Luciano Gomes (bateria) e Douglas Coronel (teclados); a banda Mr.

Publicidade

Kurk enriquece a noite paulistana tocando os clássicos do rock de forma surpreendentemente excepcional.

Porém, no início da noite desta sexta-feira (11), Ed Carvalho usou sua rede social para anunciar uma notícia triste; a morte de João Kurk.

O baixista confirmou a apresentação da banda na noite desta sexta em São Caetano do Sul e adiantou que os demais shows agendados estão suspensos até que os integrantes decidam os rumos que serão tomados com a ausência do líder do grupo.

A última apresentação de João Kurk com sua banda aconteceu no domingo passado (6) no MIS (Museu da Imagem e do Som), quando a banda tocou ao vivo clássicos do rock em sincronia com a animação "Fantasia", da Disney. #entreternimento