Publicidade
Publicidade

Um crime bárbaro foi registrado por volta das 3 horas da última sexta-feira (8), em um posto de gasolina localizado na rua Coronel José Rufino Freire, em São Domingos, na zona oeste de São Paulo. A vítima foi identificada como Maria Gabriela Tomé, de 17 anos. Segundo informações repassadas pela #Polícia, a estudante foi morta após ser espancada com chutes, murros e pontapés por 5 mulheres [VIDEO]. A jovem ainda foi socorrida com vida para uma unidade médica, mas acabou morrendo.

Vítima tinha um relacionamento com um homem casado

De acordo com uma testemunha, a jovem tinha um relacionamento amoroso com um homem casado, que morreu recentemente de overdose no momento em que estava em um encontro amoroso com a vítima.

Publicidade

Após a morte do homem, a jovem começou a ser ameaçada de morte. Conforme relatos da imprensa local, no momento das agressões, a jovem estava acompanhada de um adulto e outra adolescente. Testemunhas relataram para a polícia que após as agressões, a vítima ficou irreconhecível [VIDEO]. Uma amiga de Gabriela disse para a polícia que só reconheceu a jovem devido ao formato largo da boca.

Polícia suspeita que uma das agressoras é a mulher traída

As autoridades locais suspeitam que umas das agressoras era a esposa do homem com que a jovem tinha um relacionamento amoroso. Outra amiga da suspeita também já foi identificada pela polícia. Gabriela foi enterrada na manhã do domingo (10). O irmão de Gabriela disse que a mãe está muito abalada com o assassinato da filha. Para ela, a principal suspeita de ter assassinado a filha é a jovem que foi traída [VIDEO], e que conhece a suspeita como sendo a filha de uma antiga babá da vítima e do irmão dela quando eram crianças.

Publicidade

Segundo informações, a jovem era bem querida no bairro onde morava. Alguns moradores da localidade disseram que conheciam Gabriela desde bebê.

A vítima era querida por todos no bairro em que morava

Os moradores não quiseram dar muitos detalhes sobre o crime, pois estão com medo de represálias. Gabriela tinha completado 17 anos na última segunda-feira (4). Ela estava estudando o supletivo, mas acabou desistindo dos estudos, pois a escola ficava na comunidade onde as agressoras e possíveis autoras do crime moram.

A vítima era ameaçada em redes sociais

No perfil da vítima em uma rede social, a jovem recebia várias ameaças. Em uma dessas ameaças, uma mulher pergunta se a vítima está pronta para as consequências. Em outra ameaça, diz que a hora dela está chegado. A polícia não informou se algumas das suspeitas foram presas. O caso está sendo investigado. #Traída