Publicidade
Publicidade

Jaqueline Miranda, 27, estava com uma dor no pé e precisava ir até um banco próximo para sacar um dinheiro. Ela conta que sempre pede #UBER para se locomover e na última corrida acabou ficando com um crédito de 5 reais. Na última quarta-feira (8), ela pediu um carro pelo aplicativo para um percurso de 2 km, de onde ela estava, rua Coronel Spinola de Castro, em São José do Rio Preto, SP, para outra rua, próxima, chamada Pedro Amaral. O aplicativo mostrou que a corrida custou R$ 5,75, como a moça já tinha um desconto de 5 reais, a corrida acabou custando alguns centavos. [VIDEO]

Para ‘compensar’ o pouco dinheiro, de acordo com o depoimento de Jaqueline, o motorista do Uber decidiu abusar dela quando parou o carro para ela descer [VIDEO].

Publicidade

De acordo com a mulher, o homem passou a mão em uma das pernas dela enquanto a segurava com a outra.

“Fiz a denúncia e compartilhei meu relato pensando em outras mulheres que ficam vulneráveis”, disse Jaqueline. Nas redes sociais, a moça recebeu incentivos e também houve quem defendesse a Uber. Uma seguidora disse.: “Culpa não é da Uber e sim do mal caráter dele. A Uber puxa os antecedentes criminais dos motoristas e não do caráter! Tem que denunciar ele e seguir com o processo”, contou a seguidora. [VIDEO]

Motorista da Uber queria um encontro com a passageira

Antes, Miranda explicou que o rapaz passou a conversar com ela sobre assuntos de relacionamento: se ela era casada, estava namorando ou se estava solteira. Inclusive, Jack, como é conhecida nas redes sociais, afirmou que o motorista chegou a marcar um encontro, à noite, com ela.

Publicidade

Sem dar respostas, a moça só esperou que a corrida acabasse.

“Na hora eu só pensei em descer do carro, mas depois pensei que poderia ter acontecido coisa pior.”, confessou Jaqueline. Ela ainda disse que decidiu fazer a publicação em sua rede social porque passou a pensar sobre isso como algo que pode acontecer ou já ter acontecido com outras mulher. A moça explicou que decidiu falar e foi até uma delegacia para fazer um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher de São José do Rio Preto. De acordo com a delegada Margarete Franco, a moça prestou o b.o. e contou em detalhes sobre o abuso que sofreu.

Outras mulheres decidem falar

Como de praxe, Margarete contou que a polícia está analisando a situação e o depoimento do motorista, para tomar uma decisão. Depois da postagem de Jaqueline, outras mulheres acabaram falando que também já sofreram abuso pelo mesmo motorista, e outras também revelaram que sofreram abuso, também, por outros profissionais do aplicativo, mas que nunca foram em uma delegacia para prestar depoimento sobre os casos.

A Uber contou que o motorista em questão já foi expulso da plataforma e que também está contribuindo com as investigações policiais. O aplicativo mostra a reputação de cada motorista para os usuários, antes deles fazerem a chamada, e a empresa também explicou que todo e qualquer caso como esse pode ser revolvido com a sua ajuda. #Abusos #Aplicativos