Que custa arriscar uma fezinha na mega-sena? E quando o sorteio é o da virada, os sonhos vão mais longe. Especialistas em marketing das apostas da Caixa Econômica criaram a edição especial da mega-sena para mexer com a imaginação e o bolso do povo. A mega-sena é, de longe, a modalidade que mais agrega recursos à instituição que detém o privilégio e o monopólio de oferecer jogos de azar à população brasileira, mas essa edição especial consegue fazer com que muito mais gente vá fazer sua aposta. Quem não fazia, faz; quem já fazia, faz mais.

Desde o início do mês, as lotéricas vêm recebendo apostas para o sorteio que se realizará algumas horas antes da meia-noite, e terá, sem dúvida, a dedicação da atenção de milhões de brasileiros.

Publicidade
Publicidade

Caso acerte os números sorteados, o indivíduo ficará na alegre agonia até a confirmação se foi o único acertador, ou se terá que dividir a bolada com mais algum outro felizardo. Caso não consiga nada além de ter a esperança jogada para outra semana, noutro sorteio, que será a realidade da maioria absoluta dos apostadores, as festas de fim-de-ano, que certamente a essa altura estarão sendo realizadas, farão com que os cacos dos sonhos criados há pouco não incomodem, afinal foi somente um joguinho em que tentamos e, mais uma vez, não conseguimos nada.

Mesmo com vários dias antes do sorteio, a Caixa anuncia a estimativa do prêmio, que chega aos 240 milhões de reais. É tanto dinheiro que nem dá para saber o que fazer, pois não temos ideia de qual seja o tamanho desse montante.

As reportagens teimam em fazer relação do custo de bens para o público poder chegar perto do entendimento: dá para comprar "trocentos" carros populares; ou "trocentas" casas...

Publicidade

que tolice!Essa medida é aplicável a quê? Quem vai ser estúpido para comprar "trocentos" carros, populares ou não?

Sonhar é melhor que ganhar

Mas o que importa mesmo é que, enquanto o sorteio não é realizado, cada apostador nutre em sua mais íntima esperança, a crença que poderá começar 2015 com vida nova. Novíssima. E enquanto ela não vem, junto com a dinheirama toda, o pensamento fica leve, fazendo com que a vida fique também leve e fácil de ser vivida, mesmo com toda a dureza do dia-a-dia que nos massacra cotidianamente. A esperança é um bálsamo que nos ajuda a viver melhor, mesmo que não ganhemos nada.

Talvez seja essa a maior jogada de todos nós: correr o risco de ganhar. A Caixa Econômica, que faz a coisa habilitada legalmente, o Bicho, o Bingo, ou outras manias que levam o dinheiro em apostas, só faz aproveitar a necessidade que temos de sonhar. Custa pouco. E faz um bem danado. #AnoNovo2015