Parece que o caso da #Família Nardoni não terminou. Essa semana apareceu uma nova testemunha afirmando que o avô de Isabella, Antônio Nardoni, também é culpado pela morte da menina. A testemunha afirma que conversou com Anna e ela diz que foi ideia do sogro de fazer o crime parecer um acidente. A funcionária diz que o sogro compra o silêncio da nora sustentando a família dela.

O crime aconteceu há seis anos, na cidade de São Paulo e repercutiu o mundo. A menina de 5 anos de idade, foi arremessada de um prédio do quinto andar. Na época, o casal alegou que entrou uma pessoa no apartamento e jogou a menina lá de cima. Na realidade, Isabella apanhou muito da madrasta e desmaiou, eles acharam que a menina estava morta e arremessaram-na do quinto andar.

Publicidade
Publicidade

Mas para surpresa do casal, quando ela caiu no chão da calçada, ainda estava viva.

O pai e a madrasta desceram do apartamento as pressas para socorrer a menina. Simularam uma cena para as pessoas e a polícia acreditar que fosse um crime, mas os peritos acharam provas que condenaram o casal. A investigação da polícia confirmou o fato e o casal foi preso. A madrasta foi condenada a 26 anos e o pai a 31 anos de prisão. Eles estão presos na Penitenciária de Tremembé e alegam inocência. Acusam uma terceira pessoa de matar a menina, mas a polícia não achou pistas.

A testemunha afirma que a madrasta ligou para o pai de Alexandre, que preparou toda a cena do acidente. A polícia confirmou a ligação do sogro e da nora, mas ainda não tem provas das conversas. Se o depoimento da testemunha for verdadeiro, será feita uma nova investigação, que dará início a um novo julgamento.

Publicidade

Isabella era filha de Alexandre e Ana Carolina sua primeira mulher, na época a gravidez não foi aceita pela família, porque Alexandre estava na faculdade.

A testemunha, que não quer se identificar, disse que Anna contou para ela na penitenciária, que quando voltava de carro do supermercado com Alexandre e as crianças, houve momento de stress e a menina irritou mais o casal. A madrasta bateu muito forte na menina e ela desmaiou. O casal achou que a criança estava morta. No desespero a madrasta ligou para o sogro que deu a ideia de simular que o crime parecesse um acidente.

O Ministério Público vai fazer uma nova investigação e se tudo for confirmado, o avô da menina terá que dar um novo depoimento. O casal também participará do novo julgamento. A funcionária diz que queria denunciar esse caso há tempo, mas só agora tomou coragem e quer que a justiça seja feita.