Foi confirmado hoje o vazamento do tema da prova de redação do Enem 2014 no Piauí, por Alexandre Uchôa, delegado regional de Combate ao Crime Organizado da Superintendência da Polícia Federal (PF) no Piauí. Pelo menos três estudantes receberam a imagem da prova, que mostra o tema 'publicidade infantil em questão no Brasil' e um texto de referência.

Não é possível afirmar se o vazamento aconteceu devido a falhas de segurança na gráfica onde os cadernos do Exame Nacional do Ensino Médio foram impressos. E também não há indícios de que esse vazamento tenha ocorrido para um número maior de pessoas.

As investigações tiveram início após a denúncia do jovem de 17 anos, Jomásio Barros, estudante do Piauí.

Publicidade
Publicidade

Ele reproduziu em seu perfil no Facebook, a imagem que havia recebido no WhatsApp, do caderno de questões onde aparecia o tema da redação. A foto foi enviada para Jomásio às 10h47 do dia nove de novembro, uma hora e dezessete minutos antes do segundo dia de provas (dia em que seria realizada a redação).

O estudante, indignado com o acontecido, compareceu a uma unidade da Polícia Federal e prestou queixa. Além dele, outros dois estudantes, do mesmo estado, também afirmaram que receberam a imagem com o tema da redação. Na data em que o estudante prestou queixa, o instituto responsável pelo Enem, Inep, divulgou nota informando que a denúncia seria averiguada e que até o momento não havia indícios do vazamento do tema.

Além de prestar queixa, o estudante também fez um vídeo e o compartilhou na internet.

Publicidade

Para quem acredita que Jomásio denunciou o vazamento porque ele não faria o exame, engana-se. O estudante fez as provas do Enem no sul do Piauí, no Colégio Machado de Assis.

Segundo o delegado, Alexandre, o vazamento aconteceu a partir dos locais em que as provas seriam realizadas, pois não houve nenhum caso de furto da prova de redação na empresa responsável pelo transporte das mesmas e nem na gráfica.

Supostos casos de vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio já aconteceram em anos anteriores.  #Educação