No início de nossa vida adulta pensamos em uma carreira de sucesso e realização profissional. Pesquisamos cursos, graduações e conhecimento para nos tornarmos um profissional completo. Ao ingressar no mercado de #Trabalho, nos deparamos com um contexto fora de nossas expectativas, pois nos confrontamos com personagens e rotinas díspares em todas as organizações. O grande problema nesse choque de realidade é o efeito negativo que influencia a visão perante as empresas. A desmotivação profissional é um dos agentes mais diretos da carência de qualidade e falhas organizacionais. Entre os fatores que ocasionam a desmotivação, os principais são:

- FALTA DE RECONHECIMENTO

Muitas vezes o mérito das conquistas ou de resolução dos problemas é adquirido apenas pelos líderes.

Publicidade
Publicidade

Os colaboradores que se empenharam para o não surgimento de problemas são deixados em segundo plano. A deficiência de ótica profissional gera descontentamento e percepção de "esforço jogado fora". Não somente a compensação financeira atenderá a motivação, mas palavras de apoio tornam-se uma injeção de ânimo no pessoal.

- CHEFES AUTORITÁRIOS

Infelizmente os chefes autoritários ainda dominam muitas empresas brasileiras. Profissionais de linha de comando centralizadores e sobretudo inseguros quando se sentem ameaçados causam grande impacto aos seus subordinados, tornando a comunicação ineficiente e a produtividade baixa devido à grande pressão por resultados.

- LONGAS CARGAS HORÁRIAS

Ao se extrapolar as horas, o cansaço físico e mental é alarmante. A grande carga de tarefas e prazos curtos faz profissionais permanecerem ininterruptamente em seu horário comercial, causando desmotivação ao acordar e imaginar que terá outro dia exaustivo e sem hora de retornar para casa.

Publicidade

- AUSÊNCIA DE PLANO DE CARREIRA 

O objetivo de todo profissional é desempenhar sua função com afinco para auferir cargos de acordo com o crescimento intelectual e experiência. Quando o colaborador sente que todo seu conhecimento está limitado sem perspectiva de outras conquistas, acha-se engessado na organização. O pior nessa situação é quando existem as grandes chances, mas as prioridades de recolocação da empresa beneficiam pessoas devido a favorecimentos, e não competências.

COMO RECUPERAR A MOTIVAÇÃO?

Não é fácil, mas não é impossível. A desmotivação é influenciada por fatores externos, mas com o crescimento do ânimo desenvolve-se a inteligência profissional, uma das características mais prezadas no ambiente organizacional. Que tal coloca-la em ação ainda hoje? Vão algumas #Dicas:

1 - Se não pode mudar de emprego, aceite o problema

Não adianta: aquela empresa, aquele chefe e aquelas mesmas pessoas estarão sempre lá até o momento em que a empresa julgar que não mais necessários.

Publicidade

Aceitar o problema não significa desmotivar-se ele, mas aprender a respirar fundo e adquirir experiências naquelas situações que melhorarão.

2 - Descanse

Ao chegar o fim do expediente e nos finais de semana, dedique-se a descansar e recuperar suas energias. Ler um livro, dormir, ir à praia... O importante é manter sua mente livre e fortalecida.

3 - Crie novos objetivos

Se refletir e descobrir que o agente de sua desmotivação também pode ser o cargo, esquematize novos rumos de carreira profissional. Busque fontes, cursos e até mesmo pessoas que já exercem a função para adquirir informação e auxiliar a redescobrir novos prazeres.

4 -Sempre tenha em mente: Você é o melhor

Você é insubstituível. Com essa frase você compreenderá o quão capaz você é. Pode haver outros profissionais mais diplomados, mas quando você domina alguma tarefa e a coloca em ação com empenho e motivação, perceberá o quanto é essencial para manter a empresa funcionando.

5- Comemore suas conquistas

Conseguiu sobreviver mais um dia? Celebre. Seja uma tarefa finalizada, uma conversa amigável o chefe e colegas, uma ideia de novo projeto, agradeça a você mesmo por essa aptidão inestimável que você impetrou. A grande dádiva de uma pessoa motivada é saber que existem conquistas diárias.

. #Desemprego