Submetidos, em 2013, à avaliação do MEC (Ministério da #Educação) foram reprovados vinte e sete cursos de medicina do país. A nota que tiveram foi 3, numa escala de 1 a 5 do chamado Conceito Preliminar de #Curso (CPC). A publicação do resultado foi feita no Diário Oficial da União do dia 18. Correspondem a 17,5% do total de cursos com conceito insatisfatório, de um universo de 154 cursos de graduação de medicina avaliados no país.

Dessas faculdades de medicina reprovadas constam cinco pertencentes ao governo federal: as universidades federais de São João Del-Rei (UFSJ), do Pará (UFPA), do Rio Grande do Sul (UFRGS), de Pelotas (UFPeL) e de Campina Grande (UFCG).

Publicidade
Publicidade

Nenhuma delas teve a nota máxima 5.

Aqui no Estado do Rio de Janeiro, duas foram reprovadas, Centro Universitário Serra dos Órgãos, em Teresópolis, e a Universidade Grande Rio (Unigranrio), de Duque de Caxias. Aliás, em nota, a Unigranrio prestou a informação de que reunirá os seus coordenadores para avaliar o resultado.

Por sua vez, Mauro Ribeiro, vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, considerou uma catástrofe o ocorrido, culpando a falta de investimentos e também a concessão de novos cursos sem a devida inspeção. Considerou ainda o fato de que escolas de medicina são abertas em cidades sem a infraestrutura para apoiá-las. Disse ainda que o INEP já registrava, em 2013, a existência de 242 delas enquanto avaliou apenas 154.

Os critérios de avaliação dos cursos levam em consideração a nota dos alunos obtida no chamado Exame Nacional do Desempenho do Estudante (ENADE) e a qualidade da infraestrutura, do projeto pedagógico e do corpo docente.

Publicidade

A avaliação é feita a cada três anos, com base em três pesos: 55% para a nota do ENADE; 30% para a qualificação do corpo docente; 15% para infraestrutura e projeto pedagógico.

Considerando-se as notas do índice geral dos cursos de medicina do país, temos:

a) com conceito 3 - 61,4%; b) com conceito 4 - 16,7%; c) com conceito 5 - 1,2%. Quanto aos cursos reprovados: a) sem conceito - 3,1%; b) com conceito 1 - 0,5%; com conceito 2 - 17%.

Em resumo, o MEC reprovou 27 cursos de medicina no país, considerados "insatisfatórios". E as causas, são todas conhecidas?

Mas a grande questão também é detectar o nível de preparação dos alunos, o que é apontado pelo concurso vestibular. O ENEM, por exemplo, está cumprindo realmente o seu papel? Ou tem função de concurso apenas eliminatório? #Opinião