"O Comando da Polícia Militar de São Paulo já identificou o policial que tirou fotos com cinco mulheres nuas em uma viatura, mas o nome dele não foi informado. As imagens, que vazaram e foram divulgadas nas redes sociais nessa quarta-feira (3), ajudaram a corporação a reconhecer também o carro oficial usado no episódio. A PM não confirmou a data em que a situação ocorreu."

É simplesmente patético. Inadmissível do ponto de vista ético. Mas ética hoje em dia, quem está preocupado com tal virtude?

É moda no mundo essa questão de mostrar. É a sociedade virtual não virtuosa que acaba possibilitando isso. Se vejo uma pessoa, seja ela amigo, conhecido, uma celebridade ou não, não importa, num local público ou não, fazendo algo reprovável socialmente, preparo minha câmera ou celular, ou filmo, depois posto nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

Já disse alhures, que marginais estão filmando assassinatos, mulheres estão morrendo online e em" real time", coisa que a internet possibilitou, flagrantes de desabamentos, enchentes avassaladoras, acidentes graves nas rodovias filmados pelos usuários, embriaguez no volante, assaltos, estupros, enfim toda sorte ou azar de delitos, pequenos ou grandes, que vão parar nas redes sociais. É o destino final desse grande volume de lixo que enchem nossas telas de vergonha e preocupação.

Isso que aconteceu com esse policial não dá pra dar desculpa, não foi armação. Está evidente que o policial cometeu um desvio de conduta condenável, comprometeu a Corporação, estava fardado, usando viatura operacional, provavelmente em serviço ou não, pouco importa. Se estava a trabalho em uma faixa litorânea, rota de praia, entre bosques e estradas rurais, embora seja visivelmente um ato isolado, nada disso serve de justificativa.

Publicidade

Dá-nos o direito de imaginar que a farra foi boa, ou indicava que seria boa, que pode existir uma rotina de desvios de conduta que devem ser investigados desde aquele comando ambiental ao soldado mais moderno.

A ética policial não é muito diferente da do cidadão comum. Ele sabia o que estava fazendo e sabia dos riscos disciplinares. Provavelmente pediu sigilo das fotos, fez o gosto das mulheres ou o seu próprio. Para mim ele não deu carona, simplesmente, assim: Entra aí e vamos embora. Não foi assim. Colocou as mulheres na carroceria já de propósito, autorizou as fotos que foram tiradas de bem perto,fotos essas tiradas por alguém que sabia e participou de tudo.

As fotos com as mulheres, ao que tudo indica, foram feitas com a viatura em movimento. Chegam a esconder a numeração da viatura e a placa com as vestes, três mulheres sobem na carroceria e outras duas provavelmente na cabine do motorista ou vão no carro atrás fotografando. Ou seja, foi tudo permitido.

Não tem justificativa que explique tal atitude.

Publicidade

Quando vemos marginais ostentando armas, drogas e dinheiro e outras afrontas à sociedade ficamos indignados. Nesse caso é a mesma coisa. É uma afronta o que estão fazendo com o nosso dinheiro. Essa viatura é de uma frota nova, enviada pelo governo federal a todas as polícias há menos de um ano. É uma viatura imponente, chama a atenção, provoca olhares e um policial sozinho mal intencionado acaba se enrolando com esse tipo de conduta reprovável. Para bandido falta pouco, é só trocar de lado.