Este não é um "programa" oficial, mas reúne pessoas que se beneficiariam do atendimento da BANCOOP, Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo, nobre iniciativa para dar crédito a uma categoria respeitável do país. Concentrou-se no lançamento do Edifício Zoláris, na Praia das Astúrias, no Guarujá. Pessoas importantes adquiriram unidades nele, como o ex-presidente Lula. Houve outro lançamento, o do Torre do Mooca, onde Rosemeire Nóvoa de Noronha, ex-secretária de Lula, também adquiriu uma unidade, todas entregues. E as demais, em outros lançamentos, foram entregues? Entre sim, ainda não e não.

As notícias mostram que não.

Publicidade
Publicidade

Pelo contrário, o do Ilhas da Itália, com torres A, B, C e D inacabadas, e ainda o Residencial Anália Franco, na Zona Oeste, os quais, mesmo com a entrega de alguns apartamentos, deixam seu compradores sem escritura definitiva. O mesmo acontece com o Residencial Altos do Mooca. E há informações da existência de um sem número de esqueletos, até no litoral do estado, lançamentos do BANCOOP.

A responsabilidade cabe à diretoria da cooperativa, que já tem contra ela boletins de ocorrência em delegacias e ações na #Justiça, apresentadas e impetradas pelas pessoas lesadas. Cito como exemplo, entre outros, o do casal Domênico Junes Carnevalli, de 89 anos e Filomena, de 83 anos, que recebeu as chaves do Amália Franco: para receber a escritura, porém, tem de pagar mais R$ 90 mil reais, proveniente do rateio para cobertura das dívidas da cooperativa.

Publicidade

Pesa sobre João Vaccari Neto, ex-presidente da BANCOOP e ex-tesoureiro do PT, o tal investigado no lava jato, a maior culpa de tudo. Há ações criminais contra ele. Do presidente da associação das vítimas da cooperativa há ainda a acusação de que o PT e a CUT instrumentalizaram a BANCOOP.

Falando de coisas aceitáveis pela BANCOOP, fugindo ao título: o ex-presidente Lula ocupará seu triplex, adquirido no início de 2000, de elevador privativo e entregue pela cooperativa em dezembro do ano passado, após negociação especialíssima, com reforço financeiro do comprador, junto a OAS. E maravilhosamente assistirá à queima de fogos de passagem de ano à beira da praia no Guarujá, de um apartamento ricamente decorado. Segundo avaliação da Imobiliária Factual, vale de R$ 1,5 a R$1,8 milhão. Prosperidade de um ex-presidente, militante sindicalista progressista.

Outros, como os ex-presidentes de período da "ditadura", 5 militares altruístas fora do poder com problemas financeiros, motivo de reportagem pela imprensa. Novos tempos! Diferença (sem acusações no trocadilho) no caso, entre militante e militar. #Negócios #Opinião