Onde foi parar a felicidade inocente do #Natal? Parece que ao crescermos nos esvaziamos de emoções, ou mesmo, as diversas dificuldades da vida estão nos afetando. Jesus nasceu, e comemoramos esta felicidade. Mas, onde anda essa alegria de alma, esse prazer real de se viver o natal? Percebemos a energia natalina no vai vem das pessoas na cidade grande. Os shoppings repletos de pessoas querendo comprar uma porção de alegria: roupas, sapatos, acessórios, eletrodomésticos, alimentos, joias, brinquedos e tudo mais que nos leve ao destino do prazer de sorrir.

Ouvimos muitos comentários acerca do natal. Alguns amam a noite natalina, quando celebram unidos com a família e amigos.

Publicidade
Publicidade

Outros sentem a tristeza profunda, principalmente quando lembram de entes queridos que partiram. Outros, a falta de felicidade, de companhia, ou mesmo, a falta de um verdadeiro sentido de vida.

Lembro de quando criança, a expectativa do presente tão esperado! E ao acordar, encontrar uma linda embalagem embrulhada com um belo laço de fita. O significado desse momento ultrapassava qualquer explicação. O simples fato de vivê-lo já era o suficiente.

Será que falta-nos presentes? Não os consumíveis, mas sim, os presentes da alma e de vida: o calor humano, o carinho, a realização, os sonhos, o amor, a paz e, tantos outros bens preciosos para nós seres humanos.

Onde está essa verdadeira felicidade ao se comemorar o natal? Por que essa época toca profundamente nosso ser?

Que os novos rumos sociais onde a solidão, a carência, as angústias, os desprezos, as dificuldades, o desamor, as tristezas, as doenças espirituais e físicas, enfim, que essa tonelada de ausências, que assolam a humanidade, sejam revistas, refletindo sobre os comportamentos atuais, numa era de consumismos exagerado.

Publicidade

Onde procuramos uma compensação para o vazio existencial.

E assim, o nascimento de Cristo é comemorado, nos inquietando e instigando a reelaborar nossas vidas. A repensar na busca de uma renovação, de um renascimento existencial de valores e de identidade. Que essa energia natalina eleve grandemente durante o ano novo: o amor a Deus, o amor próprio e, consequentemente, o amor entre as pessoas.

Que a sociedade realmente se presenteie ofertando o que de melhor e mais significativos tem: os valores da alma.

Desejo um ano novo de renovação e cheio de amor para toda a humanidade!

Um ano novo realmente novo e feliz! #Inovação