O Detran começou a instalar em novembro, novos aparelhos radares, os famosos 'pardais', que têm capacidade de captar as letras e algarismos das placas dos carros, decodificá-los através de uma tecnologia conhecida por OCR (registro ótico de caracteres) e reconhecer as pendências dos veículos.

O aparelho vem sendo testado em Brasília e permite parar e abordar nas barreiras, apenas os veículos que estão  irregulares junto aos órgãos de trânsito ou polícia.

Por emissão de diversos sinais sonoros, de acordo com a pendência, a equipe localizada cerca de 200 metros após a barreira, é acionada e aborda o proprietário. Esses radares foram instalados para pressionar os proprietários inadimplentes a se regularizarem junto ao órgão, que estima mais de 100 mil veículos, ou quase 40% da frota, irregulares no Distrito Federal.

Publicidade
Publicidade

As multas para quem estiver em situação irregular e for identificado pelo pardal é de 191,54 reais. A infração, classificada como gravíssima, ainda acumula 7 pontos na carteira do motorista.

Os equipamentos têm capacidade de ler imposto vencido, as paradas sobre faixa de pedestre, avanço de sinal e excesso de velocidade, além da conversão irregular. Os novos aparelhos também identificam carros roubados.

O Detran planeja montar pelo menos quatro blitz por dia em diferentes locais do DF. Essas blitz serão montadas também para verificar e notificar veículos com problemas no nível de emissão de poluentes.

A fiscalização eletrônica de velocidade foi adotada na região administrativa de Brasília, em novembro de 96 e desde então, causa polêmica. Alguns motoristas flagrados pelos pardais levantam a hipótese de uma espécie de indústria da multa e se queixam dos locais onde os equipamentos são instalados.

Publicidade

Muitas vezes escondidos e por isso o vulgo 'pardal', ou mal sinalizados.

Sempre aos finais de ano, a fiscalização aumenta por conta do período de férias, quando muitos brasilienses saem da cidade. Antes de sair para o merecido descanso, os motoristas devem ficar atentos para não ter dor de cabeça com a falta de cumprimento dos itens obrigatórios para quem vai pegar a estrada.

Pode parecer muita burocracia, mas quanto mais segurança nas ruas, melhor para o condutor e demais usuários. #Legislação