Parece que o assassino que decapitava as suas vítimas, agia conforme um pacto que havia feito com diabo, isso segundo palavras do próprio assassino.

Os símbolos desse pacto estariam gravados com um número e um machado desenhados em seu braço, objeto que com extrema violência e frieza executava e decapitava suas vítimas. Esse homem que está sendo acusado da execução de 6 pessoas, foi preso no ultimo 3 de dezembro na cidade de São Paulo. Segundo informações fornecidas pela própria polícia quatro dessas vítimas foram decapitadas.

Ele agia na cidade de Mogi das Cruzes e Poá, na Região Metropolitana de São Paulo. O seu alvo principal eram os moradores de rua.

Publicidade
Publicidade

Questionadosobre o porquê da escolha das suas vítimas o mesmo relatou que os mesmos não se integravam à sociedade.

Relatos de parentes diziam que o assassino teve inspiração em atos do estado islâmico. Esse grupo extremista foi responsável por várias decapitações que foram gravadas e jogadas na mídia e internet. O matador era espectador frequente desse tipo de vídeo e foi influenciado pelas imagens assistidas por ele.

Aparentemente, duas das vítimas fogem ao perfil e ao método que o assassino escolhia para matar, pois uma delas era um senhor de 46 anos que caminhava quando foi atacado, além de uma senhora de 59 anos que foi atacada quando ia trabalhar. Segundo informações, Jonathan Lopes teria confundido as vítimas com moradores de rua.

Os crimes aconteceram entre os dias 1 e 2 desse mês corrente.

Publicidade

A polícia chegou ao assassino por uma denúncia anônima, quando ele havia acabado de matar mais uma vítima. O mesmo foi encontrado com as roupas sujas pelo sangue do seu último homicídio.

Jonathan agora passará por médicos para analisar se ele sofre de alguma demência ou insanidade.

Espera-se mesmo que nesse caso trate-se de alguma demência, pois como aceitar tanta maldade e frieza dentro de um coração humano? Em apenas dois dias esse homem ceifou a vida de seis pessoas. Se não fosse capturado logo, quantas vítimas ainda iria matar?