Após algumas décadas sendo vítima do descaso do poder público municipal, o centro de São Paulo, experimenta na gestão do prefeito do PT, Fernando Haddad, um movimento ainda mais acelerado de decadência. Com sua conivência, os ditos movimentos sociais, que têm ligação histórica com o PT, tem se apropriado de espaços históricos e dilapidado diversas joias de nossa história. Esse é o caso do imponente cine Marrocos. Inaugurado no final dos anos 40 do século passado, foi considerado uma das salas de cinema mais luxuosa do país. Com dois mil lugares e todo construído com mármore de carrara, durante diversas décadas, sediou a mostra internacional de cinema e, passados muitas décadas, foi sentindo a franca decadência do centro e no meio desse ano, acabou mudando sua função social, ao ser invadido por diversas famílias pertencentes ao MST.

Publicidade
Publicidade

Apesar do prefeito Haddad negar, pelo menos 24 famílias que lá habitam, disseram que foram encaminhadas pela prefeitura, tanto que possuem documentos de papeis timbrados da prefeitura. Para piorar ainda mais, um dos invasores, Robinson Nascimento dos Santos disse que a invasão do antigo cinema foi incentivada pelo então secretário das relações governamentais da prefeitura, o ex-deputado João Antonio em 2013 e que recentemente foi indicado pelo Prefeito para o Tribunal de Contas do Município.

O prefeito quando soube do fato, o que fez? Como tem sido de praxe de seu partido, condenou veemente a invasão e chegou a dizer, inclusive, que estava em litígio com o MST. Chegou a dizer que haveria uma possível fraude em relação aos documentos e disse que a prefeitura adquiriu o imóvel para sediar uma de suas secretarias, provavelmente, da educação.

Publicidade

O fato é que até agora, nenhuma medida concreta foi tomada, e os MSTs continuam lá habitando e destruindo o imóvel. Em uma administração esquizofrênica e totalmente conivente com a falta de regras e de apreço ao patrimônio histórico da cidade, Haddad abre um grave precedente para que outros aparelhos culturais históricos da cidade sofram o mesmo destino. Basta lembrar que bem ao lado, no quarteirão do antigo cine Marrocos, o governo do Estado, investiu milhões na construção do Paço das Artes, um importante espaço cultural destinado ao ensino de música e que engloba o antigo e importante Conservatório Dramático e Musical e bem mais adiante se encontra-se o Teatro Municipal. #Opinião #Manifestação