Diminuir a idade para poder ser preso, de 18 para 16 anos, seria uma das soluções para acabar ou tentar diminuir com a criminalidade no Brasil? Essa é a pergunta que a sociedade se faz, quando se vê cada vez mais encurralada com índices alarmantes de violência, que mostram que a situação parece só piorar e as ações do estado não se mostram efetivas. Questão muito difundida pela mídia, assunto entre os corredores da câmara e do senado e debate em toda eleição, a redução da menoridade penal divide a população e provavelmente causara muito alvoroço com sua aprovação, que cada vez mais se mostra eminente.

Sim

Um grito da sociedade que vem se afogando no mar de criminalidade, a redução da maioridade se mostra a solução para combater as organizações criminosas que são super planejadas e hierarquizadas, fazem o uso de menores de 18 anos na prática de crimes, sabendo que estes recebem tratamento muito mais brando, para não dizer nulo em comparação com alguém de maior de idade, podendo assim, safar os cabeças do grupo e voltar a servir a organização rapidamente.
Pode casar, comprar, vender, fazer filhos, votar, porém não pode ser preso? Um argumento plausível, onde de fato o jovem de 16 anos tem total capacidade de diferenciar o que é certo e errado e por esse motivo, sim, pode ser preso e pagar pelos crimes por ele cometido.


Não

Prender é a melhor solução? Sabendo da fragilidade do sistema, mandar um jovem para a cadeia, pode ser a pior coisa a ser feita, pois os presídios são as verdadeiras escolas do crime.
O argumento acima é o principal, que de cara é lançado por quem é contrário a redução da menoridade penal e sem dúvidas, é muito forte e se mostra um questionamento que na verdade vem impossibilitando qualquer lei que envolva o assunto a se concretizar.
A função da prisão é a reintroduzir o infrator à sociedade, mostrando que o que ele fez não é legal e que se pode ter uma vida honesta e feliz. Essa é uma breve descrição utópica dos presídios que, embora existam exceções, na verdade se mostram como lugar de aprendizado no qual a pessoa pode sair de lá pior do que entrou.
Seria o lugar de um jovem junto de assassinos e traficantes, tendo grandes chances de sair de lá como eles? A questão é mostrar que há outras soluções efetivas para jovens infratores de 16 e 17 anos, onde possa mostrar que há outros caminhos a serem trilhados sem ser o crime. Reduzir a menoridade penal, resultará em organizações usando jovens de 12 e 13 anos para substituir os jovens agora presos, fazendo assim a questão ser novamente descuidada e criando um ciclo. Veremos logo logo crianças trabalhando para o crime.


#Opinião