Muito já se falou sobre relações virtuais, um meio cômodo e descolado de fazer amizades, uma forma de aproximação e de vínculos entre casais. Na maioria das vezes a intenção já se encontra descrita por parte de um dos componentes. Geralmente o homem ainda detém o papel de caçador. Buscam mulheres jovens e bonitas para um breve relacionamento, cujas propostas é satisfazerem suas fantasias, já tão bem retratadas no seu ego.

As mulheres, num outro contexto, buscam na internet uma forma de aliviarem suas carências afetivas, um consolo, um parceiro "compreensivo" para expressarem suas necessidades e emoções. Na maioria das vezes, nessas idas e vindas, esperam encontrar seu príncipe encantado.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o nível social e idade, um possível encontro pode ser facilitado. Mas caso passe dos 40 anos, sem estabilidade profissional e financeira, a situação tende a ser dificultada ou até impossível. A ferramenta, o computador, não te oferece opção, a não ser uma comportada "caça", jogada num reduto de ilusões.

Permita-me falar um pouco dessa experiência em site de relacionamentos. Eu, Maria José, 51 anos, nível superior, que trabalha como recepcionista numa autarquia Federal no Distrito Federal, há oito anos sem vínculo amoroso, participo há três anos de um site de relacionamento sério e sei como é difícil recomeçar uma nova relação amorosa. Fala-se com vários homens, alguns têm perfis falsos, são casados e dizem ser divorciados. Eles não querem se envolver, apenas flertes rápidos.

Publicidade

Nesses três anos recebo anualmente uma relação de perfis interessantes, coniventes com a minha idade, selecionei cinco da lista e enviei email e Skype mas nada ou nenhum retorno obtive. Depois de um determinado tempo percebi que continuavam acessando o meu perfil.

Diante desse fato, deduzi que esses senhores com idades entre 52 anos a 62 anos, estavam naquele site apenas para serem prestigiados, comprovarem para eles mesmos que ainda são viris, atraentes e capazes de despertar interesses. Porém na verdade não querem contrair uma nova relação porque temem decepções futuras, seja pelo fato de estarem casados e/ou ainda se encontrarem num eventual conforto das emoções. Testam sua masculinidade, seu poder, sem culpa da idade.

Cabe portanto dizer, que o homem se encontra em vantagem no que tange às relações virtuais, visto que, com uma idade superior a 50 anos, com nível social elevado, consegue se relacionar com mulheres mais jovens, enquanto as mulheres nas mesmas condições têm sua capacidade reduzida pela metade.

Conclui-se que, nas relações virtuais, a imaginação permeia sob o palco real, onde cada pessoa é um ator-contador de histórias, histórias que necessariamente precisam de roteiro, o da vida real.