Os brasileiros acordaram em 2015 com uma notícia: o aumento da energia elétrica, e logo no início do ano. As eleições acabaram e só esperaram para dar a boa nova. De acordo com a ANEED (Agência Nacional de Energia Elétrica) e divulgado na sexta-feira(26/12), as bandeiras tarifárias para o mês de janeiro 2015 estarão vermelhas em todas as regiões do país. Isso indica que o custo da energia está alto e a cobrança será de acordo com o consumo e gasto. A cada 100 quilowatts-hora, a conta sofrerá um adicional de R$3,00.

Mesmo com as chuvas o índice dos reservatórios continuam baixos e esse aumento na tarifa será para cobrir custos. É claro que se o governo investisse mais na área energética e soluções para o problema da água isso não estaria acontecendo. O mau uso da máquina pública, o descaso, é que leva o País a enfrentar esses déficits e assim quem arca é o bolso do trabalhador. A olhos vistos parece que o aumento é irrisório, mas se lembrarmos que há milhões de unidades de consumidores no País, isso leva a uma arrecadação milionária. Infelizmente estamos passando por esses dissabores pela falta de investimentos na infraestrutura, mas o governo só toma iniciativa quando o problema vem à tona.

Dona Luíza consome em média 163 kwh por mês e paga por esse gasto R$65,20 e com o aumento tarifário passará a pagar R$67,65 na bandeira amarela, e R$70,00 na bandeira vermelha. Ela disse que R$3,00 pode parecer pouco, mas para ela que tem o salário contado para as despesas, fará diferença.

É preciso que haja outras alternativas de energia para o brasileiro, assim não ficará á mercê somente da energia elétrica, e na falta dela teria outras opções. É preciso que o governo pense sobre outras possibilidades e alternativas e torne-as viáveis para a população.

É um descaso, pois houve desvio de bilhões na Petrobras e o dinheiro daria para solucionar todos os problemas relacionados com a energia elétrica e a água. Mas os políticos não pensam no povo, só no bolso e assim corremos o risco do deserto do Saara vir se alojar no Brasil. É preciso que haja soluções e já, pois quem pagará a conta será como sempre o bolso do trabalhador. #AnoNovo2015