Rara de se encontrar no campo até não muito tempo atrás, a energia elétrica foi aos poucos iluminando a vida dos campônios do Brasil, apesar de encontrarmos ainda hoje, muitos brasileiros que não conhecem essa tal de energia, senão pelo 'ouvi falar'.

Em 2000, dados oficiais indicavam que 10 milhões de habitantes da área rural não dispunham de energia elétrica em suas casas. Naquele ano a população do país chegava aos 175 milhões. Chegamos a 195 milhões em 2010, e os sem energia diminuíram para 2,7 milhões. Hoje temos ainda quase um milhão de brasileiros que continuam a viver no escuro.

Claro que quando se fala em energia elétrica, não se ouve somente luz e lâmpadas.

Publicidade
Publicidade

Energia à mão permite que se liguem aparelhos refrigeradores, televisores, ventiladores, máquinas para agricultura e pecuária e toda sorte de equipamentos para conforto, segurança, trabalho e lazer do ser humano.

Tem gente que não sabe o que é ter uma geladeira em casa. Imagine-se sem a sua - e sem nenhuma outra - por dois meses. Como você conseguiria levar sua vidinha do dia a dia e continuar vivo? E sem ventilador, computador, TV, sem carregar seu celular? Difícil, não é mesmo? Mas, o que te diferencia dessas pessoas que nunca puderam colocar uma simples lâmpada na sala e têm que iluminar suas escuras noites com lampião? Vivemos em Brasis diferentes.

Os telejornais anunciam, vez por outra, que apagões aconteceram no Norte, Nordeste, Centro, Sudeste ou no Sul. Em todo o país. E o Governo vem sempre com falas que tentam explicar que o sistema teve um pequeno problema, mas que não há falta de energia, que não haverá apagão, que ninguém se preocupe, que não haverá racionamento, etc.

Publicidade

Palavras não iluminam, nem refrigeram, tampouco mantém máquinas funcionando. Pode até ser verdade o que os porta-vozes dizem, mas a realidade é que energia faz falta, e ao que tudo indica, vai faltar mais vezes, por isso, prepare-se.

Não será o fim do mundo, mas chegará perto, para os moradores das cidades que moram em apartamentos em altos edifícios, e que lá só podem chegar de elevador, ou subindo numerosos lances de escada. Apartamentos quentes, sem ventilação. Sem lazer, sem comida conservada, sem água nas torneiras, pois não deu para encher a caixa d´água... Pode completar a lista.

E no trabalho? Como trabalhar sem energia? Os postos de combustíveis sem bombas para abastecer. As máquinas registradoras, sem operação, impedem as compras e as vendas. Os bancos não podem funcionar e você fica sem dinheiro.

Talvez o melhor a fazer seja começar a viajar para o interior desenergizado e aprender com aqueles brasileiros que não precisam de fios e postes para viver. Até que querem, mas esse progresso não chegou lá.

Publicidade

E parece que, antes de chegar lá, vai deixar de existir aqui.

A energia tem um preço. Preço de pecúnia, social, ambiental, político e tantas outras implicações, que nem nos damos conta. Nem mesmo nos preocupamos com ela, até que ela some de nossas tomadas.

Energia vem da #Natureza, da água, das florestas derrubadas, de milhares de animais mortos ou extintos. É necessário que saibamos usar o nosso planeta, senão não conseguiremos ir muito adiante nessa jornada.

Isso pode até ser triste e desanimador para nós, humanos, mas acho que o restante de nossos companheiros de Planeta, como as árvores e os animais que vivem nos ares, nos mares e nas terras dos quatro cantos do mundo vão achar é bom. Quando morrermos, deixaremos tudo para eles. Bem degradado, é verdade, mas a natureza se recupera. #Opinião