Foi publicado nesta terça-feira (20), no Diário Oficial da União, uma lei Estadual que proíbe a realização de chamadas comercias com números restritos ou não identificados no Estado do Espirito Santo.

Estes tipos de ligações favoreciam empresas de callcenter e telemarketing que utilizavam a ferramenta para promover ações agressivas de marketing e efetuar cobranças em geral que afrontam o Código de Defesa do Consumidor.

Outro ponto positivo sobre essa lei é que o usuário passa a ter mais proteção contra a ação de estelionatários que fazem uso dessas ligações para tentar aplicar golpes, já que não há identificação da origem das ligações.

Publicidade
Publicidade

Esses golpes eram realizadom principalmente entre os jovens e idosos que, por inexperiência, acabavam caindo.

A partir de agora as ligações de serviço para contato com cliente ou empresas destinadas ao público em geral deverão identificar o número de origem da ligação. As empresas terão até 60 dias para estar dentro da nova legislação. Caso descumpram a lei, estarão sujeitas à advertência e multa de R$ 5.374,20, aplicada em dobro no caso de reincidência.

Essa lei já existe em 8 estados (São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Norte, Paraíba, Distrito Federal, além do próprio Espirito Santo.) A lei é apelidada de "não importune", pois o usuário do celular pode pedir o bloqueio de ligações de empresas de telemarketing nos horários inoportunos, após ás 21 horas e finais de semana.

Publicidade

O núcleo de Defesa do Consumidor (Codecon) da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro também está lutando para garantir estes direitos.

No "não importune", qualquer pessoa pode fazer o cadastro de bloqueio. Assim, quando uma empresa pretende promover uma ação de telemarketing, deve consultar o cadastro e eliminar as linhas telefônicas que ali constam. Quem ligar para uma linha bloqueada fica sujeito multas que podem chegar a R$ 6,5 milhões.

Espero que esta lei promulgada no Espirito Santo se propague para os outros estados brasileiros, garantindo assim aos usuários o direito de saber qual é origem das ligações e assegurar o direito de privacidade seguindo o Código de Defesa do Consumidor. #Comunicação