Segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde do Rio, o garoto que foi alvejado por uma bala perdida há três dias, Asafe William Costa Ibraim, não resistiu ao ferimento, entrando em óbito na tarde de quarta-feira (21).

O menino estava interno em um hospital em Duque de Caxias, na baixada fluminense. O mesmo veio a óbito por morte encefálica. Quando foi atingido, o garoto se encontrava na área de recreação do Sesi, Honório Gurgel. O tiro acertou na cabeça de Asafe, ficando alojada próximo ao olho direito.

No mesmo dia, uma outra criança também foi vítima de bala perdida, Larissa de Carvalho de apenas 4 anos de idade.

Publicidade
Publicidade

A mesma teria sido alvejada na saída de um restaurante em Bangu, na zona oeste.

A polícia ainda está à procura do responsável pelo tiro. Depois da reconstituição, chegou-se à conclusão de que o tiro teria partido de cima.

Parece que este tipo de notícia tem se tornado rotina nos jornais e nas mídias em geral. O que se vê a cada dia é mais um aumento substancial nesses crimes de violência. Vidas inocentes sendo ceifadas sem qualquer escrúpulos. O pior de tudo são nossos governantes de braços cruzados, que não movem uma palha para que essas leis vigentes, ineficazes e ultrapassadas, sejam mudadas imediatamente.

No final quem está sendo punido é o cidadão de bem, que trabalha e paga seus impostos mas não vê retorno dos mesmos, ao contrário, só se ouve sobre aumento de impostos, desvio de dinheiro, corrupção escancarada, Petrolão...

Publicidade

Nós só vemos uma ação dos nossos políticos na hora de aumentar seus próprios salários, ou aprovar uma lei que seja para o seu próprio benefício, ou algum projeto de aumento de impostos, que vem deixar mais pesado o fardo do trabalhador. O que é arrecadado não vemos nada aplicado na educação, na segurança, na saúde ou na geração de empregos.

Está cada vez mais difícil ser uma pessoa de bem e morar no Brasil ao mesmo tempo.

Enquanto nossa presidenta chora por bandidos que estão morrendo lá fora, muitos pais estão chorando pelos seus filhos inocentes que estão morrendo aqui no Brasil.