No sábado (17), Érika Ribeiro Lemes, de 32 anos, foi encontrada por policiais militares, morta, com seis tiros no rosto em um bar, no bairro de Veraneio Ijal, em Jacareí - SP. Ela já tinha muitas vezes feito registros de Boletins de Ocorrência por ter sido ameaçada pelo marido, após a separação.

Não existem provas concretas, mas ele é o principal suspeito do crime. E mais, a casa de Érika foi quase destruída por um incêndio tempos atrás, que mostra muitas evidências de que foi o ex-marido que provocou.

Algum tempo atrás, o índice maior de violência, era dentro dos lares - maridos que batem nas próprias esposas. Hoje, vemos também casais de namorados se agredindo por ciúmes, um absurdo.

Publicidade
Publicidade

Em setembro de 2014, o aparentemente tranquilo Yuri Fernandes, ex-BBB, foi acusado de ter batido em sua namorada Ângela Souza, bailarina do Domingão do Faustão, em um hotel em Maceió. Agitado e bêbado, tentou atacar até os policias. Informações apontam uma possível perturbação da parte de Ângela, relacionada a ciúme, motivo que levou os dois a começarem uma briga física.

Isso não justifica de forma alguma um homem esbofetear a namorada. Se no namoro já começa assim, imagine após o casamento!

Aquela garota que está em uma balada e não deu bola para um rapaz, já é o suficiente para ser agredida pelo mesmo.

Ana Carolina, uma garota de apenas 16 anos, adorava ir a uma praça próxima à sua casa, no bairro de São Mateus, região leste de São Paulo, aos finais de semana com as colegas para tomar sorvete e caminhar.

Publicidade

Eduardo, um rapaz de 19 anos, andava também com uma galera na praça e sempre olhava para Ana, mas ela não dava a mínima para ele.

No último dia 10 de janeiro, uma tarde muito quente, lá estava ele tomando cerveja com a rapaziada, foi então que resolveu se aproximar e puxar conversa. No entanto, Ana, uma moça reservada, não deu confiança e o desprezou. Irritado, a puxou pelo braço e começou a espancá-la em público. As amigas tentaram segurá-lo, mas ainda assim Ana ficou cheia de hematomas. Policiais foram chamados e Eduardo foi detido. Depois disso, ela só sai acompanhada pela mãe para ir à escola.

O mundo evoluiu muito, a tecnologia cada dia que passa está mais avançada, mulheres ganhando sua independência no mercado de trabalho, e muitas vezes ainda conseguem superar o homem na renda familiar. No entanto, mesmo com tanta vigilância e recursos de proteção, são muitos os casos que ouvimos sobre agressões físicas às mulheres do mundo todo.