Marcos Aurélio Almeida Santos, de 42 anos, morreu com os quatro filhos em um acidente na BR-070. O veículo bateu de frente com um caminhão numa estrada perto de Cocalzinho de Goiás, no entorno do Distrito Federal, no último sábado (24).

O relato do caminhoneiro, que não sofreu nenhum ferimento, afirmava que o carro em que as vítimas estavam foi realizar uma "suposta" ultrapassagem em local permitido, vitimando todos que estavam dentro. Ainda não se sabe se houve, por parte de Marcos, um suposto suicídio e homicídio que tirasse a vida de todos do veículo.

Segundo relatos da mãe de Aurélio, Eduarda Pereira de Almeida Sol, de 64 anos, o filho andava transtornado pela separação e não havia se conformado, chegando a entrar numa depressão profunda pelo término do relacionamento, há dois meses, com sua ex-mulher, Samara Alves da Silva, de 24 anos.

Publicidade
Publicidade

Os quatro filhos eram fruto do relacionamento com Samara, porém Marcos tinham outros dois filhos em um casamento anterior. Segundo a mãe de Marcos, a ex-mulher havia proibido ele de visitar as crianças, o que causou desespero e transtorno.

No dia do acidente, o pai foi pegar as crianças, pois, segundo ele próprio, havia conseguido na justiça permissão para visitar os filhos. Depois de pegar as crianças, uma carta de quatro páginas foi deixada por ele, na qual um dos trechos dizia: "Hoje é um grande dia para mim e meus filhos. Estaremos buscando um lugar de paz onde não exista humilhação e covardia."

O pai e as quatro crianças morreram na hora e foram veladas na tarde da última segunda-feira (27). Todas as vitimas foram enterradas juntas no cemitério de Brazlândia, no Distrito Federal.

Publicidade

A mãe de Aurélio disse que o filho, um dia antes do acidente, havia encontrado com a ex-mulher na igreja e que não sabe o que aconteceu na ocasião, já que o filho voltou para casa totalmente perturbado e nervoso, chegando até a tomar antidepressivo.

Santos era obcecado pela esposa e até tentou uma reconciliação, mas não obteve êxito. No dia do acidente, dona Eduarda conta que viu o filho procurando um caderno e que pediu a ela que rezasse por ele.

Contudo, a relação de Marcos com Samara já tinha um passado conturbado que incluía violência doméstica e ameaças. A ex-mulher já havia feito dois processos contra ele, em setembro e em dezembro do ano passado, pedindo à Justiça medida preventiva de urgência, valendo-se dos direitos pela Lei Maria da Penha.

Relatos afirmam que Marcos era obsessivo e agressivo, e que o casal frequentemente discutia. O relacionamento era conturbado, com idas e vindas.

O acidente foi registrado na delegacia de Águas Lindas como quatro homicídios e um suicídio, incitando um suposto culpado pela tragédia: o pai das crianças.

Publicidade

A carta é uma clara evidência que Marcos havia planejado a morte dos cinco, já que possuía um tom de despedida.

O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Águas Lindas de Goiás, responsável pela apuração de crimes na região do ocorrido. A partir de segunda-feira (27), o caso seria transferido para a Delegacia de Homicídios da cidade.