Situado na zona norte de São Paulo, na região do Jaraguá, entre Pirituba, Freguesia do Ó, Brasilândia e Vila Nova Cachoeirinha, Parada de Taipas viveu no dia 3 de janeiro de 2015 uma tarde de terror. Após um intenso temporal que caiu na região no início da tarde, ficaram evidentes as inúmeras dificuldades e precariedades que existem no bairro paulistano. Um imenso eucalipto caiu no início da Serra da Cantareira e feriu gravemente uma mulher e destruiu diversas casas, construídas precariamente nas encostas da Serra. Um pouco mais adiante um rio muito poluído subiu e inundou diversas casas de uma favela e isso serviu de pretexto para diversos moradores destruírem três ônibus, sendo dois incendiados e um chegou a sofrer a tentativa de ser roubado por marginais que se aproveitaram da ocasião para levar o ônibus.

Publicidade
Publicidade

Mas não foram adiante, pois a polícia chegou a tempo, no entanto, não conseguiu prender nenhum dos meliantes que fugiram em desabalada carreira.

A região de Parada de Taipas reflete a situação em que se encontram muitos bairros de São Paulo. Há décadas era uma agradável região rural, situada nas proximidades da Serra da Cantareira. Com o passar dos anos foi sendo castigada pela falta de planejamento que norteia a administração da nossa cidade há muitos anos, por diversas invasões no topo da Serra que acabaram interferindo no equilíbrio ecológico da mesma. Ao mesmo tempo em que cresceu o número de casas, muitas delas construídas de maneira precária, os serviços oferecidos à população não cresceram. Assim, apesar de haver na região um grande hospital estadual, esse não tem médicos e equipamentos para atender à população.

Publicidade

Há um posto de saúde superlotado com infraestrutura precária e muito comércio clandestino.

Nos últimos anos, a situação, que já não era boa no bairro, tornou-se mais incerta com o início das obras do trecho norte do Rodoanel, que cortará o bairro, pois, por cortar a Serra, destruiu diversas casas que lá haviam e, por não definir um local para as pessoas que lá viviam morar, fez com grande parte desse moradores invadissem diversos terrenos no bairro, construindo inúmeros barracos. Essa situação fez com que aumentassem os índices de furtos na região que peca pela total insegurança pública. Um exemplo disso ficou evidente nos ônibus que foram incendiados ontem, quando a polícia demorou muito para chegar ao local e dispersar os meliantes.

Enquanto o futuro do bairro é de total indefinição, tramita na Câmara Municipal um projeto de tornar Parada de Taipas um distrito de São Paulo. Alguns moradores entendem que esse seja o caminho ideal para o bairro ter mais autonomia administrativa de gerir seus próprios problemas, que são inúmeros e que resultaram na destruição de um imenso trecho da mata atlântica, grande parte por negligência e incompetência das autoridades municipais. Resta saber se ao se tornar distrito será possível estancar essa deteriorização do bairro. É esperar para ver!!!