Desde que surgiram as redes sociais que as pessoas se sentem a vontade para manifestar suas opiniões de forma completamente livre, mas uma coisa é dizer o que pensa sobre um programa, uma música, um cantor... Outra coisa é querer ofender quem faz uso das coisas das quais não gosta. Acho que acaba sendo um paradoxo, somos livres pra dizer o quisermos, mas não somos livres pra gostar do que quisermos.

Há criticas com relação a tudo, não gosto de Luan Santana, por exemplo, e outro dia postei que eu acho ele "esquisitinho", mas em nenhum momento ataquei quem gosta ou fiz qualquer tipo de comparação com outro cantor ou mesmo entre o público que gosta de Luan Santana e o público que não gosta.

Publicidade
Publicidade

Acho esse tipo de coisa desnecessária e sem propósito, pois você não vai mudar o gosto musical de ninguém com isso.

Então, como de costume, é só começar o ano e juntamente as propagandas do Big Brother Brasil, que começam também nas redes sociais, as milhões de críticas referentes ao programa e principalmente a quem o assiste. Vale destacar que as críticas são até ofensivas em alguns momentos e, todo ano é a mesma coisa, inclusive as mesmas charges e comentários.

Não entendo o porquê de tanta postagem contra um programa de TV e, principalmente, contra quem o assiste. É indiscutível que existe uma grande massa controlada por uma grande emissora, entretanto o BBB é um besteirol como outro qualquer da TV. Não há diferença entre ele, o Zorra Total e a Grande Família por exemplo, assim também como não é diferente dos "besteiróis" americanos que fazem muito sucesso aqui no Brasil.

Publicidade

Aliás, se você que adora os seriados americanos me disser que a função do BBB é alienar, eu te pergunto então, qual a função de "Two and Half man"?

Eu não temo nem um pouco em dizer que assisto sim, quando tenho vontade e não sou menos inteligente por isso, pois dependendo do meu humor ou vontade. Leio livros de variados assuntos, estudo, vejo filmes, assisto Nat Geo ou History Channel, logo não preciso que ninguém me diga para desligar a TV e ler um livro.

Eu poderia até chamar essas pessoas de pseudo-intelectuais, mas não vou, pois estaria cometendo o mesmo erro que elas, que criticam de forma bastante ofensiva os telespectadores do BBB. Se você acredita, assim como eu, que o caminho para conscientização é a educação, então dê bons exemplos, faça sua parte. Há milhões de projetos de voluntários em escolas publicas, se o Estado não faz a sua parte em levar pra essas pessoas outro tipo de entretenimento leve você então. Contribua com alguma coisa, afinal eu faço a minha parte, sou professora e quando posso levo aos meus alunos coisas que eles talvez não tenham acesso.

 O BBB vê quem quer, quem não quer muda de canal. Simples assim! #Famosos