Washington. A Suprema Corte dos Estados Unidos vai avaliar nesta semana se os casais do mesmo sexo em todo o país têm o direito de casar ou não. O tribunal vai considerar quatro recursos de casais homossexuais que querem se casar e, portanto, que seu casamento seja reconhecido nos seguintes estados: em Ohio (norte), Michigan (norte), Tennessee (sul) e Kentucky (centro-leste), quatro estados que proíbem o casamento gay.

O suprema corte concedeu uma audiência de duas horas para ouvir os argumentos das partes quanto a interpretação da 14ª Emenda à Constituição e sua relação com o casamento gay. Esta alteração garante direitos iguais para todos.

Publicidade
Publicidade

Em uma audiência marcada para a segunda quinzena de abril, os nove juízes vão tentar responder a duas perguntas. O comunicado foi enviado à imprensa.

As perguntas são:

"A Emenda 14 exige que um estado autorize o casamento entre pessoas do mesmo sexo? A 14ª Emenda exige que um Estado reconheça o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo, se esse casamento for legalmente autorizado e realizado fora do Estado?" .

Em junho de 2013, o Supremo Tribunal de Justiça já tinha feito história quando derrubou uma lei americana onde estipulava que o casamento era algo reservado para um homem e uma mulher. Ao anular esta lei, o tribunal, de fato, abriu o caminho para casais gays e lésbicos gozarem dos mesmos direitos e privilégios nos termos da legislação federal para do que seus homólogos heterossexuais.

Publicidade

Mas essa inversão não decidiu se o casamento gay seria legal a nível nacional e foi deixado para a justiça de cada estado decidir se adota essa mesma lei.

Naquela mesma época, apenas 12 estados mais a capital Washington, teriam reconhecido o casamento com casais do mesmo sexo. Depois disso começou uma seqüência de legalização em todo os Estados Unidos e agora 36 dos 50 estados aceitaram o casamento gay.

Na verdade isso tem sido uma tendência em vários países do mundo, mas é um assunto que exige um certo cuidado, pois bate de frente com valores morais, sociais e religiosos. Há muitas questões a serem discutidas e debatidas, até porque este tipo de casamento sai do campo da normalidade, da natureza, onde o homem nasceu para mulher e vice versa, é só levarmos em conta a questão da procriação, imagine um mundo assim homossexual, estaríamos caminhando para a erradicação da espécie humana. #Opinião