A Polícia Militar, o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), a Vigilância Sanitária e o Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizaram uma operação em parceria e Geraldo José de Pinho, 67, suspeito de exercer a profissão de médico veterinário sem ser formado na área foi detido. Isso aconteceu em Maceió, no bairro do Eustáquio Gomes, na manhã dessa quarta-feira (28).

A operação em conjunto tem como objetivo combater a ilegalizada no município. Além da suspeita de prática ilegal da medicina veterinária, o local no qual o detido trabalhava estava cheio de irregularidades. Pinho assinou o Termo Circunstanciado de Ocorrência [TCO] no 10º Distrito Policial (DP), para onde foi levado.

Publicidade
Publicidade

O estabelecimento, que não tem a licença ambiental necessário para poder funcionar, foi notificado. Será estabelecido um tempo para que as adequações sejam feitas, mas caso isso não aconteça, o local poderá ser fechado.

Tudo começou quando o Conselho Regional de Medicina Veterinária recebeu denúncias sobre as ilegalidades do local. Além da prática médica ilegal realizada, como pequenas cirurgias e venda de medicamentos sem registro, e da falta de licença, faltava também ao comércio o Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), que é obrigatório e rege as normas de descarte de material contaminado.

O estabelecimento foi proibido de vender medicações e só poderá vender acessórios e ração. Depois do registro da ocorrência, Geraldo foi liberado.

Mais uma clínica veterinária foi autuada

Na mesma operação, de acordo com o site "Cada Minuto", o estabelecimento veterinário ClinVet também foi autuado na mesma data.

Publicidade

A clínica não era registrada no Conselho Regional de Medicina Veterinária- CRMV. Embora a esposa dele fosse apresentada como responsável técnica pelo local, ela também estava sem registro como RT no CRMV. Outro problema foi a falta de registro dos medicamentos vendidos no estabelecimento que deviam ser registrado pelo Mapa. O proprietário da clínica, João Batista de Morais Calheiros, 34, foi detido e também levado para o 10º DP. Ele tem 30 dias para regularizar a situação do local. #Animais #Crime