Este ano, um dos destaques da escola de samba paulistana Tom Maior, foi a passista Fabiana Vilela. Exibindo um barrigão de sete meses de gestação, ela disse que foi tudo muito tranquilo, carregando seu filho Lorenzo na barriga com um salto alto e pouca roupa.

No primeiro momento, ao entrar toda linda e ligeira apesar do peso da barriga, a passista foi vangloriada pelo público, porém, não foi este mesmo tratamento que ela recebeu nas redes sociais. A maioria dos internautas, ao avaliar as imagens e fotos espalhadas pela internet, achou que Fabiana Vilela havia passado dos limites ao expor a riscos a vida de seu filho.

Mesmo com avaliação médica em dia e permissão da escola de samba, a atitude da passista despertou uma calorosa discussão sobre os direitos e deveres das grávidas.

Publicidade
Publicidade

Comentários do tipo: 'Mulher grávida sambando na Sapucaí pode e na fila do banco temos que dar preferência?', 'Então as grávidas podem pular no #Carnaval e no ônibus tenho que dar lugar pra elas?'.

Realmente, este assunto é polêmico, porque ao mesmo tempo em que a legislação preza por situações em que grávidas tenham direitos e preferências como em fila de banco e lugar no ônibus, elas também têm direitos de se divertirem e ficarem horas dançando. Ou sambando, como é o caso da passista.

Têm direito ou não têm?

O problema é que toda essa discussão põe em pauta a necessidade ou não de privilégios para elas. Se uma mulher grávida pode permanecer por tanto tempo sambando em cima de um salto, então qual a necessidade de assento preferencial?

Ginecologistas e obstetras afirmam que o bebê já ouve bem dentro da barriga mais ou menos a partir da metade da gravidez, além do que, com o passar dos meses e o crescimento da barriga, é preciso tomar cuidado para que a grávida não se desequilibre e caia, pois uma leve pancada pode desencadear um parto prematuro ou até mesmo um aborto. O que vai fazer a diferença entre uma grávida e outra é seu condicionamento físico.

De acordo com a Lei nº 10.048, de 08 de novembro de 2000, artigo 1º, as grávidas, assim como idosos, lactantes e pessoas acompanhadas por crianças de colo, terão atendimento prioritário.

Esse é um dos direitos das grávidas, porém, deve-se também ressaltar que como qualquer outra pessoa, ela deve se preocupar com sua saúde e exercícios físicos também são indicados para elas.

Cada um é cada um #Famosos

Mexer o corpo melhora o preparo físico cardiopulmonar, além de ser eficaz contra as dores e frequentes incômodos ocorridos durante a gestação, a passista Fabiana Vilela demonstrou estar bastante em dia com seus exercícios. Ou seja, o que está em excesso não é a grávida sambando no Anhembi e sim, os comentários exagerados e subjetivos dos internautas.