Um recém-nascido foi encontrado no Cemitério da Penha, em Lages, na região serrana de Santa Catarina. Ele havia sido abandonado em um túmulo, dentro de um saco plástico. A criança foi achada por pedreiros que trabalhavam no local e ouviram o choro, na terça feira, dia 3.

O nome de um dos heróis é Vanderlei da Silva. Ele e um amigo estavam passando pelo cemitério, em uma das carreiras, quando ouviram o choro da menina, mas desconfiaram que fosse um bicho. A sorte é que resolveram procurar de onde vinha o barulho e encontraram o bebê em uma das sepulturas que estava com a gaveta aberta.

Pedro, funcionário do cemitério, acompanhou todo o ocorrido e informou que a menina estava enrolada em uma manta, dentro de um saco plástico fechado.

Publicidade
Publicidade

Ele contou que os dois pedreiros pegaram o bebê e chamaram a polícia. Acredita-se que se a recém-nascida ficasse ali por mais meia hora ela não teria resistido, pois estava tremendo muito e ainda tinha o cordão umbilical.

A Polícia Militar chegou em menos de cinco minutos e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência também foi acionado. Às 9h50, o bebê foi encaminhado ao Hospital e Maternidade Tereza Ramos.

De acordo com a direção da instituição hospitalar, a menina tinha nascido poucas horas antes de ter sido encontrada, pesa 2,380 quilos, está saudável e passa bem. No hospital, a menina foi 'batizada' de Renata pelos funcionários, pois esse nome significa renascimento - exatamente o que aconteceu com ela.

A Polícia Militar está investigando o caso para encontrar a mãe do bebê.

Publicidade

Abandonar um recém-nascido caracteriza abandono de incapaz e tentativa de homicídio, assim o responsável pelo que aconteceu deve ser encontrado e penalizado pelos crimes cometidos.

Ainda não se sabe se Renata será dada para adoção, pois a polícia não ainda não tem a identificação da #Família. Se for, várias famílias já mostraram interesse na menina.

Essa é uma notícia triste e feliz ao mesmo tempo: feliz porque o bebê passa bem e triste por saber que existem pessoas capazes de abandonar recém-nascidos à própria sorte.