Há aproximadamente 13.000 anos a última era glacial chegava ao fim. Tratava-se de uma época com mudanças e consequentes mutações em decorrência das alterações climáticas naturais. Animais entraram em extinção por não se adaptarem a tais mudanças, seres humanos, dotados de cérebro (portanto seres pensantes), conseguiram se adaptar a uma nova realidade. Realidade que foi se alterando no decorrer dos tempos em virtude de atitudes humanas. Por exemplo, a descoberta da agricultura e com ela a consequente estabilidade humana, pois com o plantio, o homem deixou de ser nômade e passou a ser sedentário.

Nossos antepassados viveram nas mais precárias condições e conseguiram sobreviver.

Publicidade
Publicidade

Hoje, no Brasil, estamos nos deparando com problemas de falta de água. Tal situação requer cuidados, pois uma adaptação humana sem água é impossível. Nossas lideranças deixaram de investir nessa área e hoje sofremos as consequências desse descaso.

Em São Paulo, um grande estado brasileiro e uma das mais fortes economias do país, com tecnologia de ponta nas mais diversas áreas, vemos a falta de água fazer com que as pessoas retroajam no tempo e tentem armazenar água de formas rudimentares, pois o problema é grave. A imprensa nos mostra a situação, mas nem de perto imaginamos o quão grave ela realmente está.  

As mudanças climáticas atuais são provocadas e não naturais, como normalmente pensam as pessoas. As alterações que hoje ocorrem são frutos de atitudes de sociedades capitalistas que só visam o lucro.

Publicidade

Desmataram e desmatam impiedosamente florestas, poluem rios e mares, caçam e matam animais, sem se preocupar com a extinção e o impacto que isso gera no ecossistema mundial.

Hoje, em pleno século XXI, 13.000 anos depois do fim da era glacial, nos deparamos com mudanças drásticas capazes de alterar todo um planeta, fazendo com que tenhamos que nos adaptar novamente a futuras mudanças por uma questão de sobrevivência. A falta de água, as chuvas fortes, as catástrofes naturais... tudo isso fará com que surja um novo "homem". Não sei qual será o nome dado a esta era, mas com o fim dela, uma nova surgirá. Torçamos para que consigamos nos adaptar.