O ator Roy Frank "RJ" Mitte III, conhecido como R.J. Mittle, se tornou mundialmente famoso após sua atuação brilhante na série dramática "Breaking Bad", escrita por Vince Gillighan e exibida pela AMC. R.J. começou a interpretar Walter "Flynn" White Junior na série quando tinha apenas 14 anos e ganhou o prêmio de Melhor Performance do Elenco em Série Dramática do Screen Actors Guild Award em 2013. Assim como o ator, seu personagem sofria de paralisia cerebral.

Atualmente, com 22 anos, o ator é a personalidade mais jovem a ter uma cadeira na Oxford Union e a prestar depoimentos para debates e palestras. Ele aproveitou a oportunidade para falar sobre sua vida e fazer um apelo pelo fim do estigma de interpretação perfeita em Hollywood.

Publicidade
Publicidade



Ator fala sobre bullying

Durante o depoimento, R.J. falou sobre seu estado de saúde e declarou que já foi vítima de bullying quando era mais novo. Ele contou que, devido à sua deficiência, foi gravemente agredido fisicamente por outras pessoas. O ator disse ainda que, em um dos ataques sofridos, teve seu corpo jogado ao chão, fraturando uma mão e um pé. Devido a sua persistência, Mitte se tornou referência para outras pessoas que estão na mesma condição. Ele afirma que já é hora de acabar com os preconceitos que dificultam ou mesmo impedem a chegada de portadores de deficiência ao mundo cultural e indústria do entretenimento.

R.J. Mitte faz apelo

Ao falar sobre sua vida em Hollywood, o ator contou sobre suas dificuldades e abriu o jogo falando que trabalhar na área é muito mais difícil, devido ao preconceito e estigma dos consultores e outras pessoas.

Publicidade

Ele afirmou que os responsáveis pelos projetos culturais e entretenimento são muito duros e negativos com os portadores de deficiência, de todos os tipos. O estigma está relacionado, segundo Mitte, à ilusão de que as atuações devem ser perfeitas, o que tecnicamente é impossível, dado a liberdade de atuação e limitações de cada ator.

Atualmente ele realiza um trabalho de conscientização sobre deficientes junto a organização Scope pelo Reino Unido. #Famosos #Violência