O cigarro eletrônico de maconha foi criado na Holanda. Essa novidade para vai gerar uma grande polêmica entre os críticos defensores da utilização da erva como meio de se drogar. De acordo com os criadores do cigarro eletrônico, o aparelho dará uma sensação de bem- estar aos usuários, algo semelhante ao tradicional cigarro de maconha.

A novidade para os fumantes é o chamado gadget de marijuana, ele foi criado pela companhia E-Njoint, com a colaboração de laboratórios europeus e americanos. A empresa é especializada no ramo da produção de cigarros eletrônicos. Na divulgação do novo produto, foi informado que a E-Njoint criou um cigarro com gosto e cheiro de maconha.

Publicidade
Publicidade

Para proporcionar as várias sensações que a maconha causa nos usuários, o gadget possui os mesmos terpenos da erva. Assim, é possível, mesmo sendo apenas um cigarro eletrônico, fornecer o prazer do fumo, com direito ao sabor e o aroma da droga.

Em nota divulgada na internet, a empresa E-Njoint informou que os principais efeitos do cigarro eletrônico de maconha são: bom humor, relaxamento muscular, o melhor estado de alerta, entre outros.

O principal aspecto sobre a criação deste tipo de cigarro está sobre a análise da legalidade do consumo. Neste ponto, os inventores garante que o aparelho é legal. Para comprovar essa afirmação, eles disseram que o cigarro não possui nicotina, alcatrão, canabidiol, nem mesmo tetracanabinol. Segundo o fabricante, os ingredientes do 'baseado' eletrônico, são naturais, sendo utilizados nas indústrias alimentícias.

Publicidade

A empresa E-Njoint vende o produto diretamente no próprio site. O cigarro eletrônico de maconha está sendo vendido por um valor aproximado de 10 euros, ou seja, cerca de 40 reais, além do frete.

Mesmo sem ter os componentes viciantes do cigarro, como a nicotina, a venda deste tipo de cigarro pode estimular o consumo da maconha verdadeira e aumentar os viciados na droga. Será este o próximo passo para a legalização da maconha?

Quando popularizar a venda será que ele poderá substituir o tradicional 'baseado?