O dia 1° de abril é considerado o "dia da mentira". Aquela data onde crianças e adultos brincam, pregando peças e contando mentiras para seus conhecidos, apenas por diversão. Apesar da mentira ser considerada uma pratica negativa na sociedade, nessa data, ela é utilizada como instrumento para descontrair. Entretanto, mesmo sendo um dia popularmente conhecido na maioria das regiões de todo o mundo, quase ninguém sabe o porquê dessa representação.

Há muitas explicações para o significado do 1° de abril, o famoso "dia da mentira". A mais conhecida diz que surgiu na França, entre anos de 1560 e 1574. No início do século XVI, as festividades de ano novo eram celebradas no final do mês de março e as comemorações só acabavam no dia primeiro de abril.

Publicidade
Publicidade

Foi pensando nisso que o papa da época decretou que o ano novo passaria a ser comemorado no dia 1° de janeiro, de acordo com seu calendário cristão.

Mesmo assim, parte da população manteve a data das festas. Essas pessoas foram apelidadas de "bobos de abril", por seguirem algo que não era mais verdade, não era a realidade, além de receberem diversos convites para festas que não existiam. A partir daí, a ideia se propagou, migrando pela Inglaterra e se tornando uma data conhecida em todo o mundo.

Muitas pessoas não gostam nem de ouvir falar sobre mentira, por acreditar que só irá trazer o mal, pois, afinal, ela não é moralmente aceita durante anos. Mas não há como negar que a mentira é natural e frequente no dia a dia das pessoas, e que mentiras, as vezes, se fazem necessárias. Quando mentir é utilizado para fazer brincadeiras, ou auxiliar em um bem maior, muitas pessoas acreditam que ela até deve ser praticada, mas que deve ser moderada e controlada, para não fazer o mal para outra pessoa.

Publicidade

Por isso, no dia primeiro de abril, as brincadeiras saudáveis estão liberadas, desde que não tenha consequências negativas, ou não acabe prejudicando os outros a sua volta. Pois, afinal, ela está presente no cotidiano e, as vezes, até ajuda a descontrair. #História