É sabido por todos que as mulheres necessitam de melhores condições de vida e de trabalho quando o panorama adotado para tal assunto, enquanto objeto de estudo, é a sociedade e o convívio social entre homens e mulheres. Em outras épocas, a mulher foi considerada um ser sem inteligência e de que apenas existia para a procriação e os afazeres domésticos, e por séculos, em muitos lugares do mundo, assim foi feito. 

No momento atual, do século XXI, já se tem, há algum tempo, mulheres ocupando lugares da mais alta hierarquia em diversos setores da sociedade, da administração pública e também da administração privada, e também em todos os ramos do conhecimento de forma mais consistente, uma vez que já acontecia no século XX em menor escala.

Publicidade
Publicidade

Mesmo assim, as mulheres reclamam que os salários não são iguais, não são tratadas com o mesmo respeito que homens são tratados e muitos outros fatores.

A Consolidação da Mulher na Sociedade 

A imagem da mulher enquanto um ser vivo e humano, pensante e ciente de sua consciência, dona de seu nariz e de suas decisões independentes do aval de outro ser vivo e humano pensante do sexo masculino, é algo consistente e sólido, de fato e de direito, e sem sombra de dúvida, de forma indubitável, desde a década de 60 do século XX. Mas essa consolidação teve seu início mais claro no contexto da Primeira Guerra Mundial com o uso da mão de obra feminina nas indústrias, algo que já vinha sendo feito na Segunda Revolução Industrial, desde meados do século XIX.

As condições de trabalho desumanas de alta periculosidade em condições altamente insalubres e sem descanso necessário proporcionado, além da baixa remuneração, foi razão para diversos protestos de trabalhadores.

Publicidade

Várias manifestações contrárias foram realizadas em diferentes partes do mundo. Uma das bandeiras que resolveu combater esse problema que a mulher enfrentava foi a esquerda socialista que muito criticava o capitalismo da época. 

Na Rússia, em 1917, houve uma manifestação, no dia 8 de março, por motivo grevista das operárias da indústria têxtil contra a participação russa na Primeira Guerra Mundial, entre outros motivos. Tal evento acabou gerando acontecimentos sequenciais, que resultou na Revolução de 1917. Isso resultou na queda da autocracia czarista, levando ao poder o Partido Bolchevique, resultando na União Soviética, primeiro país socialista do mundo.



Desde o início do século XX havia a luta da mulher pela busca dos seus direitos, de trabalho digno, salários normais, direito ao sufrágio universal e sua participação na sociedade para as tomadas de decisão. No ocidente comemorava-se o dia Internacional da Mulher até 1920, e tal data foi esquecida depois disso. Por demagogia ou por favorecer os mesmos ideais, o stalinismo incluiu o Dia Internacional da Mulher dentro das propagandas partidárias.

Publicidade

O Feminismo 

O movimento feminista da década de 60, de fato, trouxe a tona, de uma vez por todas, a questão, dos direitos da mulher para a mesa de debate e discussão da sociedade globalizada e até hoje é pauta em qualquer ramo do conhecimento e local público e privado. Quem imaginaria que colocar os seios de fora e queimar sutiãs fizessem tanta significação para a #História? Há quem diga, nunca antes foi visto tantos seios sem o contexto da líbido em praça pública.

O que importa é que a mulher tem o direito de trabalho e estudo, salário e tomada de decisão igual ao homem. O direito de escolher quem pode administrar a sua cidade, estado e país da mesma forma que pode se candidatar para ser escolhida. Da mesma forma que aprende, pode ensinar e, além disso, pode dar vida a outro ser humano e quando faz isso não escolhe apenas mulheres, mas também traz a vida seres vivos humanos do sexo masculino, aquele mesmo que um dia teve a ousadia de dizer que a mulher não tinha inteligência e nem deveria pensar, somente cuidar dos afazeres domésticos.



O Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas em dezembro de 1977 e desde então o 8 de Março é o Dia Internacional da Mulher.

#Opinião