Na cidade de Vila Velha, Espírito Santo, um homem foi assassinado dentro de uma cova, no cemitério do bairro Santa Inês. O homem tentou escapar dos seus executores, mas foi capturado e jogado dentro de uma cova, onde foi assassinado a tiros. O #Crime ocorreu no domingo (29), às 16h. Policiais da cidade relataram que acharam o corpo atingido com 7 tiros. O homem ainda não foi identificado, mas a polícia suspeita que a vítima tinha ligação com o tráfico de drogas, já que foram encontrados crack, maconha e um revólver calibre 38 próximo ao corpo.

Algumas pessoas que estavam presente no local, relataram aos policiais que a vítima chegou numa moto.

Publicidade
Publicidade

O mesmo teria entrado a pé no cemitério sendo perseguido por 10 homens. Ele teria tentado escapar, mas acabou sendo capturado e assassinado dentro da cova. Uma pessoa que estava com o homem executado, relatou aos policiais que o levou no cemitério na moto, mas que não o conhecia. A polícia não acredita na versão e suspeita que o mesmo possa ter relação com o crime, já que foi encontrado com ele outro revólver. Os policiais acreditam que ambos são do bairro Terra Vermelha, em Vila Velha.

O assassinato colocou medo nos trabalhadores do cemitério. Eles ressaltaram que ouviram muitos tiros e que logo procuraram se esconderem. Os funcionários preferiram não se identificarem com medo de retaliações. "Nunca vi uma cena como a de hoje. Foram muitos tiros", afirma um dos funcionários.

Moradores próximos ao local ficaram curiosos com o crime e assustados ao mesmo tempo.

Publicidade

Muitos estiveram presentes no local, prejudicando o trabalho da Polícia Militar. Além disso, os mesmos lamentam a morte de mais uma pessoa que possivelmente se envolveu com o tráfico de drogas, e teve o fim trágico, mas já esperado por todos, já que o tráfico só leva a morte ou a cadeia.

A Polícia Militar permaneceu no local durante toda à tarde de domingo, sendo utilizado um helicóptero na busca pelos os indivíduos que assassinaram o homem. O crime no Espírito Santo será apurado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, na capital do estado, Vitória. #Violência