O lançamento da nova campanha de esmaltes da Risqué conseguiu levar as mulheres à loucura em poucos minutos, mas não foi por entusiasmo. A linha intitulada 'Homens que Amamos' que, em teoria, exalta pequenos gestos cotidianos feitos pelos homens, irritou as consumidoras e gerou polêmica nas redes sociais. Segundo as internautas, os novos esmaltes foram nomeados de forma machista e sexista, e, como protesto, a tag #homensrisqué ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter na noite da última terça-feira (23).

O fato de um produto feminino ser pensado e inspirado nos homens também desagradou o público. A empresa de cosméticos se pronunciou em nota dizendo que está acompanhando as críticas dos consumidores e considera válida qualquer discussão, mas não irá retirar os exemplares do produto das lojas e nem alterar sua coleção.

Publicidade
Publicidade

Como as cores dos esmaltes recebem nomes do tipo: "Guto fez o pedido" ou "João disse eu te amo", no microblog os internautas ironizaram a publicidade e utilizaram a tag #homensrisqué para listar atitudes e pensamentos machistas que as mulheres enfrentam no dia a dia. Os posts mais comentados foram: "Flávio assedia todas as estagiárias, mas é porque elas gostam de elogio", "Alessandro transa sem camisinha. Mas se você engravidar, a culpa é somente sua", "Se você não se cuidar, ninguém vai te querer" e "Pedro tem casinhos fora do casamento. Quando a mulher descobre ele diz que vai se matar".

Em contrapartida, o blog 'Mulheres Contra o Feminismo' classificou como histeria e vitimismo de mulheres desequilibradas a #Manifestação feita pelas consumidoras que se sentiram lesadas com a publicidade.

Casos recentes

Há pouco mais de 1 mês, a campanha publicitária da Skol para o carnaval, intitulada "Esqueci o não em casa" e a do Ministério da Justiça que estampava a mensagem "Bebeu demais e esqueceu o que fez? Seus amigos vão te lembrar por muito tempo", foram bombardeadas com críticas no Twitter e no Facebook, resultando na demissão do diretor de marketing da Ambev e na retirada da peça publicitária da página oficial do governo.

Até esta quarta-feira (25) mais de 15 mil menções sobre o assunto foram publicadas no Twitter. #Beleza