Neste domingo (15/03) milhares de manifestantes saíram às ruas das capitais de todo o país para protestarem e mostrar a indignação diante da corrupção e do governo da presidente Dilma Roussef.

A repercussão se fez notar nesta segunda-feira (16/03) na #Mídia internacional. Grandes jornais estrangeiros deram destaque aos protestos ocorridos nas ruas do Brasil. Eles observaram que a Classe média branca dominou as manifestações, mostrando que a maioria dos protestantes eram os mais ricos, os de melhor classe social ou seja: os letrados, professores, advogados, universitários, e os mais socialmente favorecidos. As pessoas estavam com cartazes, faixas, escritos em língua estrangeira para chamar a atenção da mídia internacional.

Saiba mais sobre a repercussão dos principais jornais internacionais:

. The Guardian (Jornal Britânico): citou que ´Centenas de milhares de brasileiros predominantemente bracos e de classe média tomaram as ruas ontem´. De acordo com o jornal, as pessoas clamam pelo ´impeachment da presidente Dilma.

. El Paris (jornal espanhol): referenciou o mesmo tema, que os ´ Protagonistas das marchas pertencem as classes médias mais educadas´ destacando os brancos.

. Clarim (argentino): comentou que o líder sindical Paulinho da Força foi o ´único´ a levar pessoas de outras etnias para defender o ´impeachment´.

. O New York Times: enfatizou sobre os problemas da economia que o Brasil enfrenta e o grave problema da corrupção.

Mas o que significa de fato a classe média branca dominando as manifestações?

A classe branca é a que mais sofre o impacto da alta dos preços que ocorreu: a inflação, e representa o racha nas eleições passadas, o que levou a uma reflexão sobre o andamento do governo Dilma. E o bolso das pessoas sentiram o impacto do mau governo, da indiferença, da ideologia de que eles não governam para o povo, mas em benefício próprio. #Manifestação

O protesto de 15/03 foi do povo brasileiro, da indignação, da insatisfação, e não só os brancos foram às ruas, mas todos, de todas as cores, raças, níveis sociais. O que se pôde perceber é que as famílias com seus filhos saíram para participar, levando faixas, cartazes, em inglês, português e outras línguas, chamando a atenção do mundo sobre o Brasil. O povo quer sim mudanças, e o grande número de pessoas nas ruas mostrou tudo isso. E que a voz do povo possa transparecer o anseio de uma nação.