O filme argentino "Relatos Selvagens", de Damián Szifron, era um dos concorrentes ao Oscar deste ano como melhor filme estrangeiro. Ele conta uma série de pequenas histórias sobre pessoas normais que, ao serem lavadas ao limite por situações cotidianas e, aparentemente normais, acabam cometendo algum tipo de loucura, por vezes, bizarra.

O filme procura explorar justamente a ideia de que pessoas normais podem ser levadas a atitudes irracionais e violentas quando submetidas a uma alta carga de estresse. Ao assistir o filme, não há como deixar de lembrar do alemão Andreas Lubitz. Talvez seja exatamente isso o que aconteceu com o copiloto naquele fatídico dia.

Publicidade
Publicidade

O estresse e a pressão pela possibilidade de perder o emprego que tanto lhe agradava, talvez tenham sido capazes de levá-lo a essa atitude tão drástica.

Mas parece que  as coincidências entre o filme e o ocorrido não param por aí.

A primeira narrativa do filme é a mais impressionante, justamente pela semelhança com a tragédia da Germanwings. Ela se passa em um avião, cujos passageiros tinham algo em comum: conhecer o comissário de bordo. Eles não apenas conheciam o comissário, como também tinham, de alguma forma, dado uma contribuição negativa a ele. Eram professores, colega de turma, psicólogo e, até, uma ex-namorada. Então, o comissário derruba o avião. E assim começa o filme.

Ao assistir o filme, não é possível negar a semelhança. Ela existe, e se apresenta de forma perturbadora aos espectadores.

Publicidade

Em resposta, salas de cinemas na Inglaterra estão inseridos avisos antes das sessões do filme.

Vale lembrar que o filme foi lançado em outubro do ano passado e ficou conhecido justamente por sua indicação ao Oscar. Cabem aí, alguns questionamentos: teria Andreas Lubitz assistido o filme e se inspirado ou o que temos aí é apenas uma coincidência?

Nunca saberemos se o filme serviu de fonte de inspiração para o copiloto. Nunca saberemos, nem mesmo, se ele chegou a assistir o filme. A única coisa de que podemos ter certeza é que o filme, por mais bizarras que suas histórias possam parecer, acabou por comprovar sua teoria com o caso. Pessoas aparentemente normais podem, sim, cometer grandes loucuras, prejudicando, inclusive, desconhecidos.

Seria a arte imitando a vida ou a vida imitando a arte?

*A queda do avião da Germanwing, causada propositalmente pelo co-piloto da aeronave, horrorizou o mundo com seus 150 mortos. A tragédia ocorreu na última terça-feira (24) e tem sido destaque em jornais do mundo todo. #Opinião