Pensando em reduzir a taxa de evasão escolar do Piauí, a Secretaria Estadual de #Educação e Cultura (Seduc) irá implementar a partir de maio um programa em 44 cidades do estado. O Poupança Jovem irá pagar uma bolsa de R$ 1,5 mil para alunos que completarem o 2ª grau do ensino médio. Inicialmente, farão parte do projeto 59 escolas e cerca de 19 mil alunos. A taxa de evasão das escolas públicas do estado já ultrapassa os 16%. Entre os principais motivos da desistência, está a falta de incentivo para os jovens, que vivem nestas cidades com baixo IDH.


O anúncio do programa foi dado pela secretária de educação e deputada federal, Rejane Dias (PT). Em entrevista, ela explicou como funcionará todo processo de pagamento da bolsa. "Cada estudante que concluir o primeiro ano do ensino médio ganhará do Governo do Estado R$ 400, e após a conclusão do segundo e terceiro ano, os jovens receberão as parcelas de R$ 500 e R$ 600, respectivamente.", explica. Para melhor funcionamento do programa, 60% do valor das duas primeiras parcelas ficaram retidos e só poderão ser retirados após a formatura do jovem junto com a última parte da bolsa. Vale lembrar que estes valores só estarão disponíveis para os alunos que forem aprovados ao final de cada ano letivo.


De acordo com a Seduc, essa ação será de extrema importância para o estado como um todo, pois com a diminuição da evasão escolar e o aumento das matrículas, o Piauí conseguirá investir na manutenção das escolas, contratação e valorização dos professores e também vai gerar mais recursos para a implementação de uma educação com mais qualidade. Hoje em dia, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) não consegue suprir as necessidades, o valor fica restrito apenas para o pagamento dos profissionais da área.


Rejane ainda ressaltou que o Poupança Jovem só foi viável com o auxílio do Banco Mundial, que disponibilizou R$ 35,5 milhões para execução do programa até 2019. Ações como esta além de controlar a desistência dos alunos que frequentam as escolas públicas do estado, reduzem o analfabetismo.


Essa foi uma das primeiras medidas adotadas pela Secretária de Educação, que tomou posse no dia 23 de março. Ela ainda quer aumentar o número de escolas que atuam em tempo integral, convocar os mais de 700 professores aprovados em concurso e conseguir recurso para reformar 670 escolas. Umas das metas iniciais de Rejane Dias é abrir escolas no final de semana para dar oportunidade para jovens que não tem local para estudar de segunda a sexta. "A intenção é fazer que a educação chegue a todos", finalizou.