Será que o índio tem algo para comemorar? Neste domingo, 19, em pleno feriado, mais uma razão para que ele seja esquecido. Em algumas cidades serão efetivadas comemorações. Para muitas pessoas, um duplo programa de índio (o real e o metafórico).

No Rio de Janeiro, as festividades serão no museu do Índio da Funai. Em São Paulo, a cidade de Bertioga tem o festival da cultura indígena. Em Brasília, o memorial dos povos indígenas promove atividades diversas. Em Belo Horizonte, a cultura indígena será discutida. Em diversas outras cidades, festividades menores, almoços, reuniões e discursos irão comemorar o dia de uma civilização em extinção.

Publicidade
Publicidade

Inexoravelmente a segunda-feira irá chegar e tudo será como antes no quartel de Abrantes e os "ingratos" indígenas, que receberam o seu dia, não irão agradecer, e continuarão, "indevidamente", a reclamar pequenos pedaços de terra, onde possam tentar resgatar seus valores. Os fazendeiros talvez esperem o final do feriado para, na quarta-feira, continuar a expulsar um aqui e outro ali, sem se preocupar que a Funai os realoca em áreas de menor valor, produtividade e qualidade de vida.

Aos poucos, eles vão sendo dizimados. Em 500 anos de história, ela não mudou e os índios continuam sem chance de fazer com que os seus justos pedidos sejam atendidos. Alguns irão esperar pelo ano seguinte, quem sabe em 2016 as coisas sejam diferentes. Se o primeiro dia do índio ocorreu em 1943, isto significa que já houveram 72 dias deles, muito pouco para compensar as mais de sete décadas de tentativas e esforços inúteis.

Publicidade

Recentemente, novas invasões pioram ainda mais a situação, em brigas entre mineiros e índios.

Os índios eram 5 milhões e, nos dias atuais, existem apenas 370 mil, dos quais, 190 mil moram na região norte. Se nada mais lhes puder ser dado além de um dia no ano, aproveite para tirar uma fotografia, com seu pau de selfie, com algum exemplar genuíno da raça, porque, dentro de algum tempo, nada haverá para comemorar. Parabéns aos nossos ancestrais, que, quando tinham o domínio da terra, a guardavam para seus herdeiros. #Opinião