As estatísticas do IBGE sobre o crescimento da população de idosos no gigante adormecido em berço esplêndido são assustadoras e preocupam pela falta de medidas para prevenir situações futuras desagradáveis. Eles se movimentam com maior vagar. Costumam pensar antes de tomar qualquer decisão. Encaram diretamente nos olhos, as pessoas que lhes dirigem a palavra. Demonstram serenidade.

A população de idosos no Brasil cresce a olhos vistos. Agora já são mais de 11% da população. Nos próximos oito anos serão perto de 14,6% e em 2040 o número atingirá 27% de idosos. Quem parar e se perguntar se o país está preparado para isto, nem famílias, nem governo, nem os santos estão preparados.

Publicidade
Publicidade

O que fazer? Deixar que eles rodem sem destino pelas ruas?

As tentativas de reaproveitamento dos conhecimentos adquiridos e da maior experiência para solução de problemas, enfrenta a resistência dos mais jovens. Há uma luta surda entre os partidários do primeiro emprego contra aqueles que procuram uma oportunidade de ter seu último. Ela não é declarada, mas existe em latência em uma sociedade que está empurrando um grave problema futuro com a barriga.

Será sempre o próximo governo que irá tratar do assunto. Há leis que protegem os deficientes e recomendações para a contratação de pessoas mais velhas, recompensadas por incentivos fiscais e redução da carga de impostos, mas as iniciativas são poucas. Estatísticas do IBGE apontam que há homens de 60 a 74 anos de idade que ainda trabalham e são tidos como o arrimo de famílias, onde há jovens desempregados.

Publicidade

Aos poucos alguns analistas sociais começam a colocar algumas vantagens para os empregadores com relação à contratação de pessoas mais velhas:

· Aqueles que têm melhores condições de saúde, doam uma maior fidelidade aos empregadores que valorizam suas contribuições.

· São pessoas mais experimentadas para enfrentar problemas.

· Apresentam relacionamento interpessoal com os clientes de forma diferenciada.

· Apresentam maior escolaridade.

· Não tem mais no crescimento financeiro como seu objetivo no #Trabalho.

· São mais ponderados e atuam como mediadores no ambiente de trabalho.

· Não lutam mais por carreira e por isso ajudam os mais jovens com conselhos e orientações.

· Necessitam do trabalho como forma de complementar sua renda mensal, que aos poucos é corroída por uma assistência social deficiente.

· Encaram com maior seriedade as responsabilidades que lhes são entregues.

É um conjunto de vantagens que não pode ser ignorado, principalmente frente à instabilidade que as novas gerações apresentam e assim, a mescla de pessoas mais experientes pode atuar como auxilio a que estas contratações acabem agregando valor ao negócio. Com relação à efetivação da responsabilidade e autoridade social da empresa contratante, ela está garantida e é bem recebida pela sociedade.

#Negócios