Trabalhar para Dan Price deve ser, uma das melhores coisas da vida. O executivo abriu uma empresa de processamento de compras com cartão de crédito, chamada Gravity Payments - em 2004, quando tinha 19 anos e ainda estudava na Universidade de Seattle.

Desde então a empresa só cresceu, chegando, no ano passado a processar transações no valor de 6,5 bilhões de dólares, em mais de 12 mil #Negócios - isso, sabemos, é para deixar milionário qualquer patrão. Mas não é bem o caso de Dan. O CEO pode até ser milionário, bilionário, mas é aquele tipo de patrão que todos queremos: que reconhece o trabalho feito pela equipe - e ele demonstrou isso na atitude que tomou recentemente.

Publicidade
Publicidade

Para dar aumento aos seus funcionários, o fundador e CEO da empresa diminui o seu salário

Dan Price queria acabar com a desigualdade entre os salários de seus funcionários - o seu objetivo era pagar um salário mínimo (?) equivalente a US$ 70 mil por ano (para ter uma ideia, isso equivale a aproximadamente R$ 18.000,00 por mês) - até então a média de salário dos seus funcionários era de US$ 48 mil por ano. A solução encontrada por ele para chegar ao valor que queria pagar, foi cortar o seu próprio pagamento em 90%, assim o aumento de salário dos funcionários se tornava viável.

Em entrevista ao New York Times, o executivo disse que a faixa de salário para ele, que é CEO, é absurda se comparada com a de um empregado normal. Disse ainda que o importante para ele é o bem-estar de seus funcionários, e que quer pagar salários a seus funcionários que os levem além do "sonho americano", quer que eles consigam comprar uma casa e pagar pela educação de seus filhos.

Publicidade

Dan Price é conhecido por ser uma pessoa simples, não dada a luxos - seu carro, por exemplo, é um Audi de 12 anos, que recebem em um negócio com um comerciante.

Talvez essa seja a forma dele demonstrar agradecimento pelo anos difíceis, como na crise em 2008, quando a empresa quase fechou, pois dois de seus maiores clientes foram à falência devido à recessão, o que causou uma queda de 20% em sua receita, no espaço de 2 semanas. A sua empresa quase fechou, mas ele lutou até o fim e sem fazer nenhuma demissão - e sua equipe, composta em sua maioria de jovens como ele, esteve sempre junto.

Nada mal para quem tem apenas 29 anos, não? #Finança