Existem exemplos que devem ser seguidos. Aquele divulgado sobre os finalistas do prêmio Fishman, feito quando ele foi convidado para apresentar o projeto de pequenas escolas em congresso que será realizado em New Orleans em 21 de abril, merece um registro e destaque. Eles podem servir como exemplo para que outros docentes, intelectuais transformadores, capazes de mudar a sociedade na qual atuam, iniciem mudanças com pequenas transformações.

O fato divulgado na semana que passou é a história de um educador, Jonathan Johnson, conhecido nos meios educacionais locais como "o professor guerreiro" devido ao fato do tema de suas aulas propor uma guerra contra as baixas expectativas de um futuro melhor para a juventude afro-americana.

Publicidade
Publicidade

No ano que passou foi um dos finalistas do prêmio Fishman que oferece uma gratificação de 25 mil dólares para professores que se destacam por suas atividades humanistas em benefício de seus alunos. Ao utilizar este novo conceito "rooted scholls" que direciona a evolução de seus alunos no sentido de conseguirem bolsas de estudos nas melhores universidades, facilitando o progresso de alunos afro-americanos, ele se destacou na comunidade de New Orleans. A proposta desta escola é diminuir ou eliminar um problema considerado gritante na sociedade atual: a desconexão entre o que a escola ensina e o que é feito em termos de mercado naquela área do conhecimento: a defasagem é muito grande.

A proposta de mudar uma situação secular busca, na atualidade, preparar os alunos de forma diferenciada para a tecnologia da informação e da comunicação, onde neste ano de 2015 está prevista a abertura de 7.500 novos postos de trabalho nesta área.

Publicidade

A pretensão de Johnson é eliminar o diferencial de pobreza de seus alunos. O projeto se estendeu e agora foi criado o projeto de criação de pequenas escolas, que pratiquem uma educação em sintonia com o mercado, via a criação de incubadoras que direcionem os alunos para o que o mercado precisa, deixando para depois que eles estiverem trabalhando, a preparação para as grandes faculdades e o desenvolvimento de um plano de carreira mais consistente.

É um caminho que poderia ser considerado como uma proposta simples, humilde, mas que pode em seu desenvolvimento, minimizar os sofrimentos de todo um povo afro-americano, aos quais são negadas as mesmas oportunidades que o restante da sociedade.