O objeto de estudo do NHANES (National Health and Nutrition Examination Survey), divulgado esta semana, analisou qual é a melhor opção, entre dieta ou atividade física, para pessoas da "melhor idade". Os dados foram obtidos com a aplicação de questionários na grande rede. O objetivo foi evitar que sacrifícios desnecessários sejam impostos às pessoas da terceira idade, com indicações que podem não ser as melhores.

É inegável que, na medida em que envelhecemos, nosso corpo metaboliza as calorias de forma mais lenta. Isto impede agirmos da mesma forma como quando éramos jovens. Levado-nos a perguntar: o que é melhor na medida em que envelhecemos: dieta ou exercícios? Será que depois de idosos ainda podemos consumir hambúrgueres, queijo, batata frita, aquela cerveja geladinha? Não são poucas as pessoas idosas que reclamam do "dia após", quando fogem de qualquer regime.

Publicidade
Publicidade

A primeira vantagem é que as pessoas de mais idade podem comer de forma mais calma e tranquila que os jovens, mas apesar dos benefícios advindos dessa providência, a visita a uma endocrinologista e logo em seguida a uma nutróloga, é recomendável.

Para estas pessoas, nada melhor do que uma escolha alimentar que se restrinja a saladas e carnes magras, então por que ainda assim elas engordam? A resposta irá deixar os donos de academias satisfeitos. Quando envelhecemos, a atividade física tem maior impacto sobre nosso peso do que qualquer dieta. Estas afirmações se apoiam em respostas a 4.999 questionários enviados a americanos adultos entre 20 e 70 anos (o último foi escondido por um dietista fanático). Os dados arregimentados deram informações sobre o IMC - Índice de Massa Corporal Médio e outros indicadores de interesse.

Publicidade

Os resultados em favor de uma das propostas: fazer dieta ou fazer exercício físico como forma de emagrecimento para pessoas idosas foi uma acachapante goleada, não tão vergonhosa como os 7 x 1 aplicados pelos alemães a nossos jovens não tão aplicados assim.

O impacto das atividades físicas na perda e manutenção de peso em níveis aceitáveis, também com outros indicativos de saúde, é maior que qualquer dieta que a pessoa possa vir a fazer.

Sobrepeso e obesidade, responsáveis por doenças do coração, diabetes, gordura no fígado, entre tantos outros males, podem ficar longe das pessoas da melhor idade.