Irá ocorrer no mês de outubro de 2015 em Brasília - e não poderia haver local melhor para sua efetivação -  o XVI Seminário Internacional sobre Educação para Ética. Ela está posta por muitos organismos internacionais como exigência para adoção de uma nova perspectiva social.

Tal encontro, para o qual deseja-se sucesso, ainda que com pouca esperança, irá ocorrer nos dias 22 e 23 de outubro do ano corrente. Os políticos são obrigados, pelo descrédito provocado pelos escândalos de corrupção, a se inscrever. Caso contrário quem sabe ele não teria quórum suficiente. Aliás este é um fato comum no congresso de alguns países atrasados.

Publicidade
Publicidade

Deles a ética fugiu assustada, antes que seu último véu fosse roubado.

Especialmente dirigido para as comissões de ética e demais agentes públicos, aceita-se de bom grado a presença de especialistas (filósofos e sociólogos, funções em extinção acelerada, por aborrecerem o poder estabelecido com reclamações diárias). Podem efetivar a inscrição, também representantes da sociedade civil. Aprender o que ela é facilita burlar as suas recomendações. As inscrições serão gratuitas. Infelizmente as despesas com deslocamento e diárias poderão ser objeto de mais algumas propinas, ao serem bancadas pelas instituições interessadas, com notas fiscais três ou quatro vezes superiores ao valor original.

Conscientes de sua importância social, desvalorizada, sociólogos e psicólogos andam tal e qual Diógenes (ele andava pelas ruas de Atenas em pleno dia procurando pelo menos um homem de verdade na cidade, que também estava em crise ética na ocasião).

Publicidade

Agora eles andam com suas lanternas de Led (mais econômicas) procurando onde se escondeu a dita Ética, na capital do país do futuro (esqueceram de fixar uma data limite). De todos a quem eles perguntam, recebem em troca olhares assustados, por ainda existirem pessoas tratando deste assunto, que todos julgavam superado e enterrado pelos escândalos financeiros que varreram a Ética do país comandado pelo partido dos tolos.

Em tempo, é importante definir, para grande parte das pessoas, o que este vocábulo significa. Preferencialmente de uma maneira simples e compreensível por todos: ter Ética é não fazer aos outros, aquilo que não gostaríamos que fizessem a nós mesmos.

Antes que se inicie uma discussão sobre "ethos" ou "ethica" para gregos e latinos, alguns se apressam a responder, para não aborrecer a plateia que a ética é a ciência que trata do bem e do mal. Sendo ainda mais popular, a ponto de convencer dona Marocas do bar da esquina do congresso, lá no planalto, onde a parede é enfeitada por cheques sem fundo de diversas personalidades, mais fácil ainda seria dizer como o fez Álvaro Vazz que a Ética: "é uma daquelas coisas que todo mundo sabe o que são, mas que não são fáceis de explicar, quando alguém pergunta".

Publicidade

Quem seria capaz, por exemplo, de explicar porque um pastor e alguns correligionários, escondidos em uma sala do congresso no planalto, mas não das câmeras do grande irmão, levantaram preces a Deus (não disseram qual, mas Baal - cá entre nós, o demônio- está entre os suspeitos) para agradecer pela entrada de uma generosa quantia em dinheiro proveniente de algumas falcatruas cometidas. Não perca tempo e façam suas inscrições, o país está precisando e a sociedade penhorada agradece. #Opinião