A cada ano que passa, torçam os homens os narizes ou não, o empreendedorismo deixa se ser um território notadamente masculino e, aos poucos, os números começam a mostrar esta realidade. Recentemente, encerraram as inscrições para o Prêmio Consulado da Mulher de Empreendedorismo Feminino 2015. No dia de hoje, a infobranding, que declarou considerar as mulheres líderes mais carismáticas que os homens, realizou a 4ª edição do diálogo infobranding para debater fatores como preconceito e disparidade social, desafios ainda a serem vencidos. As discussões que antecederam o diálogo são apresentadas como desafios para as futuras empreendedoras.

Uma empresa de conteúdo, que divulga artigos e realiza workshops, cursos e eventos nas áreas de branding, design, marketing, publicidade e propaganda, entre outros, promove, todos os anos, o Diálogo InfoBranding, cujo objetivo principal é debater um tema atual.

Publicidade
Publicidade

Foi fundado em 2013 por profissionais de diversas áreas, com grande experiência no mercado.

Aspectos como a intimidação que as mulheres têm de falar para públicos formados quase exclusivamente para homens precisa ser superado. Algumas escapam na adoção de uma postura masculina, que pode colocar a perder o respeito masculino.

Há nas reuniões mais fechadas e trazidas à luz por alguns participantes do diálogo e do prêmio a ser ofertado ao final do ano que é necessário que as empreendedoras tenham mais confiança e saibam mostrar isto sem que qualquer conotação de superioridade seja adotada.

Startups formadas por mulheres apresentam a tendência de receber menores valores de investimentos. Os CEOs do sexo feminino podem ser contados nos dedos das mãos. Em muitos casos, as mulheres se furtam de expandir seus sentimentos e demonstrar no trabalho atitudes "femininas" tais como emotividade e carinho, o que pode lhes trazer problemas de foro íntimo, por algumas delas terem que demonstrar o que elas não são.

Publicidade

Como consequência de muitas destas situações algumas destas empreendedoras coloca um preço muito alto para a construção de relacionamentos com outras pessoas do sexo masculino, desenvolvendo um preconceito às avessas.

A competição entre as empreendedoras às vezes acontece de forma muito mais vigorosa e encarniçada, do que entre os homens, sem que isto tenha nenhum significado. Isso leva alguns analistas psicólogos de empresas de colocação de empreendedores a orientar que as mulheres em posição de destaque, procurem agir de forma normal e não se tornarem caixas de ressonância de frustrações de outras mulheres.

Todos estes percalços justificam que as mulheres empreendedoras criem fóruns de discussão e ampliem a sua participação nas redes sociais, locais onde elas podem abrir para a sociedade estes desafios e contar com a colaboração para apoiar e promover as mulheres para o centro das atenções e incentivar a que outras mulheres tomem o mesmo caminho.

Os analistas sugerem uma participação maciça e ativa no 2015 Global 2015 entrepreneurship congress a ser desenvolvido em Milão nas datas de 16 a 22 de novembro de 2015.

Publicidade

Quem sabe durante este congresso muitas destas limitações estejam desfeitas e a representação feminina possa surpreender com novas ideias e novos comportamentos. #Opinião