A segunda-feira (6) no Brasil foi de uma onda generalizada de preconceito e homofobia no Twitter. Com a hashtag #OdeioGaysPorque nos trending topics - assuntos mais comentados da rede social - brasileiros destilavam ignorância, preconceito e hipocrisia ao elencar motivos para não gostar de pessoas homossexuais. Aos poucos, usuários se deram conta do que estava ocorrendo e rebateram a maré homofóbica que se instaurava na rede.

As primeiras frases contendo essa hashtag surgiram no início da manhã, por volta das 7h, mas somente no período da tarde foi que o assunto ganhou força. A guerra virtual formada ganhou repercussão tão forte que, sem demora, chegou ao segundo lugar dos trending topics do mundo inteiro.

Publicidade
Publicidade

Ao tomarem ciência do que estava ocorrendo, rapidamente os usuários estrangeiros do twitter postaram diversas manifestações contrárias à tag e salientavam ter profunda vergonha de verem isso ter espaço na #Internet.

Mesmo com o intuito extremamente ofensivo, a hashtag viu seu efeito virar ao contrário e em determinado momento muitas mensagens lamentando a onda tomaram conta e praticamente abafaram as opiniões preconceituosas. No mesmo passo, casais homossexuais responderam postando fotos de momentos de felicidade a dois como forma de protesto ao conteúdo exibido.

Mantendo o ritmo de efeito reverso ao objetivo inicial, no final do dia, a tag #OdeioGaysPorque virou uma grandiosa arma de combate à própria homofobia e dela surgiu a ideia de uma outra tag em resposta, a #OdeioHomofobicosPorque, que logo ganhou seu espaço e foi usada por membros diversos.

Publicidade

Vindas de perfis conhecidos do twitter ou não, os comentários contrários ao preconceito renderam boas frases para quem acompanhou a discussão na rede social. A Rebeka (@Belleister) perguntou como havia espaço para uma tag assim. "E eu achando que as pessoas estavam evoluindo. Pessoal, vamos brincar de século 21", ironizou. Já a Leona (@LeonaDivaa) brincou dizendo que apostava que quem criou essa tag descobriu que era gay e estava em fase de negação. #Manifestação