O Centro Democrático para o Progresso Americano conclui estudo desenvolvido sobre relacionamentos pessoais e valores humanos, desenvolvido em 2014. A pesquisa teve o intuito de analisar o que os entrevistados pensavam sobre os relacionamentos abertos. De acordo com os resultados divulgados, até mesmo neste tipo de relacionamento, é possível a criação de valores familiares.

Os liberais defendem a posição de "não casamento" alegando que não são todas as pessoas que tem condições de casar. Um problema é quando as mulheres enfrentam a maternidade, é o começo das críticas, que recaem principalmente sobre as questões de problemas com as crianças.

Publicidade
Publicidade

Do outro lado, os pais que não assumem o relacionamento alegam que pobreza é o maior empecilho, seguido de educação incompleta, falta de progressão na carreira e desvios da lei.

O número de protestos mostra que a exigência do casamento formal ainda apresenta grande número de defensores. A valorização do casamento está em alta, sem que nenhuma medida, pelo menos recente, tenha sido iniciada em favor de sua recuperação. Mas o que não é possível negar é que, talvez pela mudança de costumes na sociedade, com a emergência da geração digital, muito menos compromissada que as gerações anteriores, passou a aceitar mais o relacionamento aberto.

Apesar do neoliberalismo lutar contra vantagens salariais e benefícios sociais conseguidos pelos trabalhadores, os políticos que desejam que os liberais não abandonem seus filhos, lutam para reforçar leis de igualdade salarial, de família paga, de licença maternidade e paternidade.

Publicidade

Há todo um movimento social de aceitação da hipótese formulada para o desenvolvimento do estudo e que afirmava que estes casais liberais, ainda assim poderiam criar valores familiares.

Assim, a conceituação de família passa a aceitar os laços chamados "monoparentais" que cedem espaço aos liberais e colocam em xeque as colocações dos moralistas e tradicionais defensores do casamento. Perdem, em parte, aqueles que consideravam que somente em famílias estáveis poderiam surgir e serem mantidos valores familiares. É campo para muitas discussões e apesar da localização do fato na cultura americana, o fenômeno pode ser estendido a nível mundial, retirando da lista as regiões de extremo radicalismo. #Opinião