Tornado com ventos de até 200Km/h faz estragos e destruição em bairros da região do estado de Santa Catarina. A cidade mais prejudicada é Xerxense, onde um casal morreu tentando salvar uma criança. O fenômeno da #Natureza deixou nesta cidade um grande rastro de destruição. Árvores e torres de transmissão foram derrubados, casas foram destruidas e postes de alta tensão ficaram retorcidos. 14 cidades estão sem energia elétrica. Mais de 500 famílias ficaram sem teto e centenas de pessoas ficaram feridas, sendo socorridas no Hospital São Paulo e cidades vizinhas. Até uma antiga Igreja não resistiu à fúria do tornado.

O meteorologista Mamede Luiz Melo do INMet (Instituto Nacional de Meteorologia) alerta que um tornado pode acontecer em qualquer região do Brasil e do mundo, menos nos polos.

Publicidade
Publicidade

Pois, ao contrário do furacão, o tornado não pode ser detectado com dias ou semanas de antecedência. Quando é detectado, ele já está acontecendo. Depois que ele se forma, é possível identificá-lo através de um radar, quatro horas antes da passagem.

O Exército, através do Governo Federal, liberou um grupo de militares e vários caminhões para ajudar na limpeza da cidade de Xerxense. Também a Defesa Civil Federal, em uníssono a Defesa Civil de Santa Catarina, está fazendo o dimensionamento dos estragos causados pelo fenômeno da natureza. Já o Ministério do Trabalho, aguarda o sinal verde do Ministério da Integração Nacional para publicar o ato com o reconhecimento da decretação da emergência ou calamidade pública pelo governo do Estado de Santa Catarina, ou pelo prefeito da cidade de Xerxense, para que possa liberar aos trabalhadores afetados a quantia de até R$ 6 mil.

Publicidade

Esta prática já existe para casos de catástrofe naturais.

O Ministro Manoel Dias, que é do Estado de Santa Catarina, afirmou que os trâmites necessários para a liberação do FGTS teve início nesta quarta-feira, dia 22 de Abril, para que as famílias tenham condições financeiras para realizarem a reconstrução das casas destruidas. #História #Opinião